quarta-feira, 24 de outubro de 2007

O caminho faz-se caminhando.
Esta obra, pouco ambiciosa no princípio, começou a ganhar forma na minha imaginação, à medida que a executava. Tinha planeado nesta série fazer uma cidade de sonho, com as dimensões de 100x120 cm. Para transmitir a sensação de misticismo, pensei executar a obra com uma paleta de cores dominada pelas cores-pigmento terciárias. Abro um parêntesis para explicar aos meus amigos mais interessados o que é isto de cores terciárias.
Para os pintores o vermelho, o azul e o amarelo, são consideradas as cores primárias. Nenhuma combinação de outras cores pode reproduzir uma cor primária. No entanto, com estas três cores, mais o branco e o preto, podemos reproduzir todas as cores da natureza. A mistura por pares das cores primárias produz as cores secundárias. Misturando uma cor secundária com uma primária, obtemos uma cor terciária. Chegados aqui fecho parêntesis.
De entre as cores terciárias queria usar e abusar do violeta, combinando-o preferencialmente com carmim, azul ultramarino e verde esmeralda. Como esta era uma gama de cores que eu pouco usava cortei uma tela de 25x30cm, que era um quarto da dimensão que pretendia e lancei mãos à obra. Esta seria “um quarto de sonhos” :)
Adorei a tela acabada. Sabia que seria irrepetível o resultado. Tive uma daquelas ideias brilhantes que, de vez em quando, nos assaltam: continuar, sem deitar fora o trabalho já feito, com mais três telas, que completassem a dimensão que tinha planeado para a obra final.
Assim fiz... e o trabalho aí está para a vossa apreciação crítica.