quinta-feira, 1 de julho de 2010

DEPOIS DE VAN GOGH (2)


Cais de Alhos Vedros Acrílico sobre Tela 30x40cm
(clique sobre a imagem)

O realismo do desenho, os seus pormenores, serve para eu me deleitar na liberdade da pincelada, no seu empaste e, mormente, na intensidade da cor que, só por mera coincidência, coincide com a realidade.
Do primeiro plano desapareceu uma estaca que lá estava inicialmente para conduzir o olhar do observador para a direita do quadro: deixei essa missão para a margem multicolorida que nos espreita…
O contraste dos amarelos e azuis é realçado pelos tons verdes (soma e complemento de ambas as cores) das margens e suavizado pelos acordes rosa, presentes no céu e na água que deve ser o seu espelho.
Olhando para este trabalho concluído, quero dizer, com a maior franqueza, que não noto nenhumas diferenças em relação aos meus mais recentes quadros.
Será que os meus amigos notam algumas?
E com esta música?

27 comentários:

jorge disse...

El cuadro, en grande, es precioso.

Pero esas nubes azul claro son esplendidas.

Tampoco noto muchas diferencias con otros cuadros tuyos.

GINEBRA disse...

Estoy de acuerdo con Jorge, en tamaño grande es estupendo. El color es magnífico, es usted un maestro del color y la pincelada suelta. Besos

A.Tapadinhas disse...

Jorge: As nossas reacções, a maneira como respondemos aos diversos desafios que a vida nos coloca, tem alguma coisa de instintivo, mas tem muito de treino. Tu sabes, foste treinador, que "só" a habilidade não chega...

Aquilo que absorvi na minha viagem, não tenho dúvidas, ainda está a ser processado...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

GINEBRA: No tamanho grande passa de uma foto de paisagem, para uma pintura...

Obrigado pelas palavras amáveis!

Besos,
António

Ava disse...

António, há uma sensibilidade mais apurada em seus traços.
As cores, fortes, mas suavizadas pelas sombras, dão um brilho especial à sua pintura.

Fantástico!

BB. coloridos!

A.Tapadinhas disse...

Ava: Não sei, não vejo, mas sinto que os seus olhos têm um filtro especial para ver a minha pintura...

Um filtro que só deixa passar as melhores sensações...

BB
António

Isabel disse...

Hermosa marina azul... llena de vida. Besos.
http://senderosintrincados.blogspot.com

Pena disse...

Estimado e Sublime Amigo António:
A sua arte fascina.
Um quadro deslumbrante, este "Cais de Alhos Vedros Acrílico sobre Tela 30x40cm" de um azul muito vivo equiparado ao céu e ao mar, suas fontes de inspiração divinal.
Perfeito, extraordinário amigo.
Quem aqui entra fica maravilhado e atónito pela forma como concebe a sua arte fabulosa, por ser indescritível de pura beleza que lhe corre no sangue.
É um Ser Humano que vive do seu magistral e fantástico talento precioso e incomparável.
Sente a arte com paixão.
Abraço amigo de respeito e fascínio pelo que concebe com delícia e brilhantismo.
Sempre a admirá-lo e também pela simpatia divinal das visitas que efectua.

pena

Bem-Haja, genial amigo de bem.
Adorei. Parabéns sinceros pelo seu intenso valor na arte fabulosa com que cria o fascínio e excelência de si.
MUITO OBRIGADO, amigo!

Anne M. Moor disse...

António

As nuvens dançam uma dança sensual num céu que colore a água dos teus barcos. As casas coloridas no fundo dão um especial toque de 'gente' no cotidiano. E a característica do movimento da vida a tua obra.

Parabéns!

Beijos encantados
Anne

Flavio Ferrari disse...

Muito, mas muito bom mesmo !!!!

Luís Coelho disse...

Se não fosse a linha das casas este quadro poderia ser visto precisamente ao contrário, dado os tons e as cores utilizadas.
A cor do mar poderia ser o Céu e as nuvens.

A.Tapadinhas disse...

Isabel: Para marinas escuras chegam as do Golfo do México...
:(

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Pena: Curvo-me perante a exuberante sensibilidade das suas palavras...

Resta-me retribuir-lhe com o meu profundo agradecimento pela sua amizade, que muito prezo.

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Sabia que irias descobrir gente e janelas e ninhos nos telhados desta minha obra...

Há pessoas que descobrem o amor nas coisas mais simples, que sabem desfrutar o lado positivo da vida, irradiando optimismo à sua volta...

Agradeço-te por isso!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio: Depois de ler as tuas palavras, tenho de ir rever o quadro...

Para já, obrigado!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Luís Coelho: Os olhos são o espelho da alma...

e o mar o espelho do céu...

Abraço,
António

Anne M. Moor disse...

António

Sem otimismo a vida não tem graça. Tudo se cobre por uma nuvem cinza bem diferente do que tu espelhas na tua obra...

E eu agradeço pela tua obra.

Beijos sem cinzas
Anne

Suzana disse...

Os seus azuis que tanto amo estão mais serenos.
Tua alma mais calma ?
bjs

A.Tapadinhas disse...

Anne: As cores neutras, às vezes, podem servir para salientar as cores mais vivas...

Se estás "blue", é natural que estejas mais sensível para o que de bom te acontece...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Suzana: Nem sempre temos a noção exacta de como estamos...

Algumas vezes, são os amigos que nos ajudam...

Beijo,
António

Helô Müller disse...

Vim até aqui pra agradecer a sua gentil visita "aos meus aposentos", e cá estou eu estarrecida, e verdadeiramente encantada, com a sua arte! O mundo agradece a talentos raros, como o seu...
Ainda não notei a diferença, nesta sua obra, com relação às demais! Talvez porque ainda esteja em estado de choque, frente a tanta beleza!
Admiro e cultou a arte, em todas as suas formas! Creio ser a arte, a ponte entre o imaginário e o real, e vc consegue fazer isto com maestria!
Como apreciadora da arte e da beleza, deixo o meu muito obrigado!
Bj
Helô

A.Tapadinhas disse...

Helô: Estou muito sensibilizado com as suas gentis palavras.

A maneira magistral como interpreta as minhas obras deixou-me encantado, por vir de quem é uma apreciadora da beleza...

...que sente a Arte com paixão...

Beijo,
António

ZULMA disse...

Luego de mucho tiempo de no visitar tu espacio...qué bien hace contemplar y disfrutar de tu arte...!
Un gran y colorido abrazo, querido Antonio

Keila Costa disse...

Noto...noto notas dissonantes, inquientantes entre o céu limite e a água por baixo em reflexos fantasmas...linda pintura.
Abraços, Keila

A.Tapadinhas disse...

ZULMA: Há quanto tempo eu não era visitado pela princesa d´El Altillo...

...Que prazer, Zulma!

E sempre simpática com as minhas obras...

e o seu autor!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Keila Costa: Interpretação algo misteriosa da minha obra...

Como se das águas estivesse para surgir uma sereia encantada...

Surgiu, uma que me encantou!
:)
Beijo,
António

DE MÃOS DADAS disse...

NO seu blog
"Tapadinhas"
Chamou-me á atenção e lá do cantinho do amigo Pena passei por aqui.
Gosto muito de pintura, mas apenas sei apreciar... pintar não tenho muito geito ou talvez até tenha, mas ainda não me consegui libertar para essa arte.
Aprecio estas cores mágicas muisturadas, que voam diante dos meus olhos e sinto-me através deste quadro transportada e integrada na casca desta árvore.
Gosto muito

Desculpe ter vindo sem prevenir tão pouco sem ser convidada.
Obrigada pelo que traz á humanidade
uma mais valia
Abraço amigo
Utilia