terça-feira, 27 de abril de 2010

INVERNO


Flor de Amendoeira Óleo sobre Platex 15x15cm
(clique sobre a imagem)

Com o trabalho tudo correu bem, o último quadro foram ramos floridos – tu verás, entre as minhas obras talvez a que fiz com mais paciência e melhor, pintada com calma e uma maior segurança das pinceladas.

Estas palavras foram escritas por Van Gogh, numa carta ao seu irmão, depois de concluir um quadro, para oferecer ao seu sobrinho e afilhado, Vincent.
A obra, com o título, “Amendoeira em Flor”, óleo sobre tela, 73x92cm, está em Amesterdão, no Rijksmuseum Vincent Van Gogh. Todos os críticos, nos seus comentários, consideram este céu, o mais intenso, o mais brilhante, que o artista alguma vez pintou. Tinha a intenção de colocar aqui o quadro, mas fiquei completamente baralhado: se se derem ao trabalho, verificarão, nas centenas de reproduções que há no Google, as diferenças gritantes que existem entre cada uma delas.
Brevemente, estarei no local para saber qual é, afinal, o verdadeiro azul do mestre. Por agora, mais do que a queda de neve ou os gélidos ventos, imaginem as andorinhas pairando no ar, com o inconfundível aroma das amendoeiras em flor, anunciando a chegada da Primavera…
Pode escutar o concerto para violino e orquestra, “As Quatro Estações – Inverno”, em que, logo no início, os acordes dissonantes da orquestra lembram os gélidos ventos e a queda de neve, com o violino em escalas descendentes e harpejos, imitando o canto dos pássaros ávidos do calor do sol - como nós!

40 comentários:

jorge disse...

Al verlo en grande se percibe la maravilla de esta obra.

De inviernos de esta belleza quiero lleno mi futuro.

calamanda disse...

Pues es una obra maravillosa y le
has dado todo el empaste adecuado,
me ha encantado.

Saludos.
Un cordial abrazo.

linda lourenco disse...

António :) Heureuse!feliz de contemplar fleurs de amendoeiras.
E o Vicente também o estaria.
O que há de mais lindo de ser lembrado e honrado assim.
Escrevo a meu Irmão falo mais de pinturas e natureza que outra coisas.
Já lhe perguntei se aborrecia,disse que adore.enquanto falo e retrato com ele,ele pode sonhar que me respondeu.
Somos pessoas especiais e não são todos que nos entendem...
Enquanto a isso há Pintura,Musica,Poesia.Ainda bem!

Beijos.

linda.

nota,Verão e outono também são maravilhosos.Como que não há estações predilectas,desfrutamos cada uma dela:)

direitinho disse...

Cada dia os teus quadros são mais belos e cativantes.
Estas amendoeiras até parece que lhe sentimos o perfume.

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Que tenhas todos os que desejares...

e para que te não sintas muito só, com boa companhia!
rsrsrsrs

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Calamanda: Um dos problemas dos pintores é traduzirem para uma tela bidimensional a terceira dimensão...

Un abrazo cariñoso,
António

A.Tapadinhas disse...

Linda Lourenço: As pessoas mais sensíveis têm um gosto especial por flores. A Linda, é um dos exemplos mais flagrantes, mas esta sua característica é extensiva às pessoas com quem lida! É por isso, que eu lhe agradeço de uma maneira especial as suas palavras, que muito me honram!

Não é só com as estações do ano: todas as coisas têm a sua parte boa! Pena é que nem todas as pessoas tenham olhos para as ver!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Direitinho: Os seus sentidos e a sua sensibilidade estão sempre atentos ao que se passa em seu redor...

E ainda bem, porque dos registos que faz, temos alguns exemplos artísticos de que todos beneficiamos.

Abraço,
António

Pena disse...

Estimado e Admirável Amigo António:
É um espectáculo ímpar assistir à abertura das Amendoeiras em flor para o mundo.
O seu quadro é divinal.
Abraço amigo de respeito imenso, SEMPRE!

pena

Adorei. Fantástico!

Anne M. Moor disse...

António,

O azul do céu contrastando com o branco das flores da amendoeira está belíssimo! Adoreiiiiiiiiiiiii... Tão alegre!

Beijos do Brasil
Anne

Dóris disse...

Antonio, pintura lindíssima, de uma sensibilidade enorme.
Texto também muito bom.
Ah...a arte, arte de todas as formas e maneiras, é algo que preenche nossa alma de alegria.
Parabéns por tão bela postagem.

Vou pedirte um favor, leia o texto deste link, e faça um comentário, seu comentário é muito importante, este texto é sobre um filme que ainda vai ser lançado aqui no Brasil. Fala sobre a síndrome de Down, talvez com este filme, as pessoas percam a mania de falar sobre esta síndrome como se ela fosse uma doença. Ser portador de Down naõ é doença.

http://www.amigosdepelotas.com/2010/04/um-dia-de-pop-star.html

Abraço com todo o meu respeito e carinho.

A.Tapadinhas disse...

Pena: Nas amendoeiras há um pormenor importante: são muito belas pela flor, mas o seu resultado não se esvai. Fica um fruto que é precioso!

Na nossa vida, também conhecemos pessoas que passam como cometas mas que nem rasto deixam.

O meu amigo é, como a amendoeira, marcante pela sua personalidade e ideias que perduram. Obrigado!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Do Brasil? Então já se acabou a aventura espanhola!?

Notei, realmente, um beijo diferente!

Beijo igual (1.º) rsrsrs
António

A.Tapadinhas disse...

Dóris: Primeiro, agradecer pelas simpáticas palavras que demonstram a sua apurada sensibilidade.

Depois, confirmar que vou seguir o seu link para ver sobre um assunto tão importante como o da trissomia do cromossoma 21...

Abraço carinhoso.
António

Manoel Soares Magalhães disse...

Em primeiro lugar, António, grato pela visita ao Blog Amigos de Pelotas, e pelo elogio ao nosso trabalho. Fico muito honrado. Quanto a sua pintura - e texto - são admiráveis. Ganhou por certo um admirador. Aparecerei por aqui de quando em quando para deleitar-me. Grande abraço!!!

Anne disse...

António

Como assim... "igual" rsrsrsrs Estás por aqui??????????????

Beijão
Anne

A.Tapadinhas disse...

Manoel Soares Magalhães: Não é para agradecer!

Fiquei siderado com o seu relato! Incrível a alegria no rosto daquelas crianças!

Eu é que tenho de agradecer as suas amáveis considerações sobre o meu modesto trabalho.

Volte sempre!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: É igual porque continuo em Portugal...

Outro assunto. Ainda não deves ter aberto o teu correio, mas vou repetir aqui a msg que te mandei. Quando tento abrir o teu blogue o meu computador bloqueia. Com os outros blogues não tem havido problemas, o que quer dizer, julgo, que há problema com o teu. Diz-me se tem havido algumas queixas nesse sentido para eu voltar a tentar.

Beijo,
António

Anne disse...

António

Não recebi nenhuma outra "reclamação"... Respondi o teu e-mail ontem. Que será que está a haver??????

Qual é o teu navegador?

Anne intrigada...

Jorge Lemos disse...

Antonio,

Encantei-me com a obra "Inverno".
Considero superior ao criador.

Abração saudoso,

Jorge Lemos

Walmir Lima disse...

Amigo Antonio,

De aprendiz (que sou eu) ao Mestre Pintor Antonio: Esta é, para mim, tua obra que encanta.

Não há como discordar do Jorge Lemos.

Um abraço de Centauro para Centauro,

Walmir Lima

Léo Metallica disse...

Incrível a vivacidade da obra de Van Gogh. Aquelas ramas nem pareciam plantas, mais sim a extensão de algum animal vivo.

Quanto a tua arte. Se me permite a crítica, me parece que você fugiu ao seu estilo de arte, fiquei procurando a vivacidade de outras pinturas e não encontrei, ficou um tanto quanto parecido com um quadro comum. Deve ser a NEVE.

Grande Tapadinhas, não obstante minhas críticas, eu gosto muito da sua arte, do contrário não comentaria nada.

Direto do Brasil.
Abraço.

A.Tapadinhas disse...

Anne: Já experimentei e bloqueou novamente. Vou tentar mais tarde.

Utilizo Microsoft, Google (não o Chrome), e Internet Explorer.

Amanhã volto a tentar.

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge Lemos: Que prazer revê-lo na minha casa!

Espero que este Inverno, mesmo belo, seja rapidamente substituido pela Primavera...

Grande abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Walmir Lima: Também não me atrevo a discordar...

Repito o que disse a Jorge Lemos: é uma honra tê-lo, de novo, de visita à minha humilde casa.

Abraço de Centauro: é para valer!
António

A.Tapadinhas disse...

Léo Metallica: Tem toda a razão amigo! Cada obra de Van Gogh tem lá projectada toda a energia que o caracteriza, toda a capacidade de sofrer e de se superar.

Sinto-me orgulhoso sempre que alguém compara uma obra minha com algum dos Mestres que admiro. No caso de Van Gogh, aquele que para mim personifica, um dos maiores, com maioria de razão... Nem me passaria pela cabeça comparar-me com ele..

Por isso, meu amigo, temos a mesma opinião... e agradeço a sua sinceridade!

Abraço,
António

Anne M. Moor disse...

O Internet Explorer está muito ruim e bloqueia e funciona qdo bem entende. Atualmente, ando usando quase sempre o Firefox (dá pra download free da internet)... Mas não sei se será isso...

Bjos
Anne

Anne M. Moor disse...

António

Tenta agora... Exclui do meu blog um vídeo que tinha feito da viagem a Barcelona pois estava desconfiada que era o vídeo que estava te trancando e hoje minha filha, que estava tendo o mesmo problema que tu para acessar meu blog tentou de novo e agora conseguiu...

Meandros do Internet Explorer...

Bjos disponíveis agora rsrsrsrs
Anne

A.Tapadinhas disse...

Anne: Durante este fim-de-semana, estive com o meu neto. Não tive, como deves calcular, muito tempo para outras coisas, importantes, sim, mas não tão exigentes como o pequeno mas encaaaaantador Rafael!

Directo ao assunto! Antes de te responder fui ao teu blogue e...

perfeita comunicação! Não sei o que era, mas está resolvido!

Beijo sem bloqueio ( 1.º)
António

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Seu quadro é lindo ,suave,cheio de cor e de uma textura que parece sair da tela!

As Quatro Estações são mesmo uma maravilha!

Saudades!

Sonia Regina.

A.Tapadinhas disse...

Sonia Regina: O que há de bom com as Estações é que sabemos que a outra há-de chegar.

Assim tivéssemos tantas certezas sobre o que o futuro nos reserva!

Beijo,
António

José Carlos Brandão disse...

Gostei de seu blog, desde o título - que define bem o trabalho do pintor e o do poeta, este que pinta com as palavras, aquele que pinta - com as cores - as palavras.
Admiro muito Van Gogh, a sua cor até com um toque de mistério - que nos quereria dizer? Sei que a arte não é feita para dizer, mas diante de Van Gogh ficamos com um ar de interrogação.
Mas falar do azul de Van Gogh faz-me pensar no azul de Cézanne. Cheguei a escrever num poema dedicado a Cézanne que "O azul é a cor da carne de Deus." Mistérios da pintura e da poesia.
Um grande abraço.

A.Tapadinhas disse...

José Carlos Brandão: Gostei dos seus comentários, pois demonstram a sua apurada sensibilidade.

Também gostei da frase "O azul é a cor da carne de Deus." Talvez porque eu coloque Cézanne no topo dos mestres da pintura, ou porque o azul é uma das cores que eu mais gosto de trabalhar.

Há outra hipótese: é que a frase é mesmo um achado! Fico-me por esta!

Abraço,
António

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigo! Passando para apresentar minhas desculpas pela minha ausência. Infelizmente, motivos alheios à minha vontade me forçaram a isso. É que perdi uma parte viva da minha história, mas a vida continua. Espero mais uma vez, contar com a sua valiosa compreensão.

Abraços e fique com DEUS.

Furtado.

Flavio Ferrari disse...

Ainda mais preocupado com a sua orelha ...
O Vestiário Masculino mudou de endereço e voltou a ativa ...
Se quiser voltar a seguir é só dar um pulo lá ... Abraço

http://www.luiz-vestiario.blogspot.com/

A.Tapadinhas disse...

Rosemildo Sales Furtado: Meu caro amigo, não tem de pedir desculpas, porque é sempre bem-vindo!

Nota-se nas suas palavras uma grande tristeza, mas também, determinação em superar o infausto acontecimento. É essa a atitude certa!

Nestas ocasiões as palavras nunca dizem tudo.

Um grande abraço de solidariedade!
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio Ferrari: ...e é a menor das minhas preocupações...

Para levantar a moral (e não só!?), vou já para o Vestiário...

Abraço,
António

Walmir Lima disse...

Antonio

Expresso-me como Vivaldi: todos os sons, todos os tons, embrioraram-me.
Cada pincelada uma nota musical,
escala de tons que enfeixam todos os sons da natureza.
Vale para as Quatro estações do Ano.

Abraço saudos do
Jorge Lemos

A.Tapadinhas disse...

Walmir Lima e Jorge Lemos: Vale para sempre meus caros amigos! Não há Inverno que resista à força da amizade!

Abraços para os meus amigos Walmir e Jorge Lemos,
António

Isabel Moreira Rego disse...

Lindas flores de amêndoeira... então não é que parecem respirar o ar fresco da Primavera?!

Parabéns, amigo!

Um artista é sempre um artista!!!!!!!!!!!!