sexta-feira, 7 de maio de 2010

A GRANDE CAMINHADA

Inadaptados Acrílico s/tela 60x60cm

Esta obra ganhou vida por ela própria. A ideia inicial era, numa tela já pintada com cores ocre, texturada, com incisões horizontais espaçadas e verticais mais próximas, pintar uma série de cores frias e quentes, no plano horizontal. Queria incutir no espectador uma sensação de grupos heterogéneos a caminhar, determinados, na obtenção de um objectivo misterioso. Este estudo serviria para preparar uma tela mais ambiciosa para uma bienal de prestígio - Prémio Vespeira. O problema foi que gostei tanto deste estudo que não me quis copiar. Na versão final, mais elaborada e de maiores dimensões, nem o título mantive. Esta tela continua comigo e não é mais um estudo - tem um lugar de destaque entre as obras que criei.

36 comentários:

Anne M. Moor disse...

Eu chamaria de "A colaboração na construção de uma vida"... Quando dizes: "Queria incutir no espectador uma sensação de grupos heterogéneos a caminhar, determinados, na obtenção de um objectivo misterioso." ... e uno...

Este teu quadro "depicts" a colaboração, seja aprendizagem ou ensino... e me deste uma ideia...

Beijos misteriosos :-)
Anne

Ava disse...

Juntei o restinho de forcas que tinha e aqui vim, deixar-te balaio de beijos!

Graça Pereira disse...

A tela dá-nos uma sensação de movimento, o que é extraordinário...
Beijo
Graça

A.Tapadinhas disse...

Anne: Deixas-me muito curioso...

Sei que não vale a pena pedir-te para levantar o véu... Fico a aguardar!

Beijo ansioso,
António

A.Tapadinhas disse...

Ava: Que se passa, menina? Falta de força? Astral bem alto é a solução!

Quem pode dar um balaio de beijos tem um poder imenso!

BB
António

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Antes de escrever este comentário olhei para a tela que está aqui na minha frente... e aquelas figuras estão a cintilar com a luz que incide nelas... como se estivessem em movimento...

Beijo,
António

linda lourenco disse...

Muito interessante esta tua obra,A mim me parece uma bela Peça de tecido
linho maravilhosamente trabalhada só com mãos de mestre que são as tuas.
Não digo mais nada porque acho,que vai ser um sucesso:).
beijinhos.

Anne M. Moor disse...

Vai lá no meu blog e lê o penúltimo post... :-)

jorge disse...

¿Me recuerda alguna obra tuya puesta aqui antes?

¿La version grande?

Es de esas ointuras que me dejan los ojos clavados.

Me parece una de esas multitudes sin personalizar que tanto se dan en las grandes aglomeraciones de gente.

Bea disse...

nos três últimos dias estive a pintar cascas de arvores de sobreiros..para ver detalhes da casca procurei no google e encontrei o seu quadro.Vim ver o blog e aproveito para o convidar a ver o trabalho que estamos a fazer em
www.facade.ning.com
se gostar ,junte-se a nós!
Beatriz lamas Oliveira

A.Tapadinhas disse...

Linda Lourenço: É uma boa sugestão para esta tela: fazer dela um padrão para tecido.

Só te quero dizer que é muito bom tomar nota das ideias maravilhosas que os meus amigos me vão dando nos seus comentários. Muito obrigado!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Claro que vou já!

Beijo apressado,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: A tua memória, já o demonstraste por diversas vezes, é de elefante!

E, eu não sabia mas a tua visão é de águia!

Tens a certeza que és humano?
hehehe

Estou a pensar apresentar a obra em formato grande, para comparação.

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Bea: Bem-vinda ao Sem Margens! Parece-me interessante o que sugere e vou consultar esse blogue!

Muito obrigado pelo convite!

António

OUTONO disse...

No tempo que não tenho...rasga-me a alma...verificar que tempo tenho perdido.

Por aqui não passo, por vezes...outras tantas...apenas o ver...sem tempo para escrever.

Ai!!!!.... como é triste ter tanto para fazer...e esse inimigo ponteiro...não deixar

Comentar a tua obra...felizmente já entrou nos meus vícios...esta "construção" inicialmente pensada de outra forma...ganhou a chamada forma da criatividade sempre presente na tua veia. Depois, a moldura vida que constróis com as plavras...e o "post" acontece. AINDA BEM!
Um forte abraço.

A.Tapadinhas disse...

OUTONO: Cada um de nós tem um caderno de encargos que julga ser impossível cumprir e nos obriga a fazer opções, algumas delas, dolorosas...

A pouco e pouco, vamos tornando esse caderno cada vez mais preenchido...

Sei por experiência própria! Já tive esse caderno cheio, que foi apagado por um enfarte de miocárdio...

Sinto que, mais uma vez, estou a preenchê-lo... Nunca mais aprendemos! Deve ser por isso que existe esse provérbio: Aprender até morrer! :(

Podes crer: as tuas palavras são muito reconfortantes!

Abraço,
António

tulipa disse...

Muito BELO este seu quadro!

Sou a vizinha da Moita, que ainda não descobriu onde fica o seu atelier, gostaria de visitar o seu "cantinho".

Um abraço.

ju rigoni disse...

Nem seria preciso ser grande conhecedora de arte, o que eu não sou, para estar diante das obras que aqui expões e saber que és um artista talentoso, capaz de reagir poética e lindamente às luzes e sombras, às belezas e dissonâncias do seu tempo com sensibilidade e maestria. Tem muita personalidade o seu trabalho que adorei conhecer. E também aprendi um pouquinho, vendo lá embaixo, em outros posts, o desenvolvimento do trabalho em algumas telas. Parabéns!

Bjs, Antonio, obrigada por seguir-me. E inté!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Antonio! Quando da minha viagem à Recife em virtude do falecimento da Enice, (minha ex esposa) devido à urgência, não bloqueei a memória do meu sócio, secretário e fiel colaborador. Acontece que, quando retornei encontrei o mesmo gravemente enfermo, pois devido às constantes e longínquas viagens impostas pelos meus queridos netos, foi vítima da invasão de alguns malfadados vírus que, como verdadeiros cânceres, danificaram totalmente a sua memória, forçando-me a levá-lo ao especialista para transplantá-la. Portanto, mais uma vez solicito a valiosa e honrosa compreensão de todos, no sentido de perdoar-me em função de mais um período de ausência, prometendo atualizar as visitas, retribuindo a todas, pois quem visita, merece e quer ser visitado.

Abraços,

Furtado.

A.Tapadinhas disse...

Tulipa: Não vai ser difícil que nos encontremos: se o mundo é pequeno, a Moita é muito menor...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Ju Rigoni: Pronto! A sensibilidade demonstrada, dispensa os conhecimentos que dizes não ter. Para apreciar Arte basta sensibilidade e bom-senso.

Gostei muito da tua visita! A minha humilde casa está sempre aberta para ti!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Rosemildo Sales Furtado: Espero que a série de acontecimentos infaustos que o atingiram tenham terminado!

Força para encarar as adversidades...

...e um pouco de optimismo!

Abraço,
António

Sí es lo que parece disse...

Hola Antonio

esta obra me parece sin duda muy original y llamativa. Sabe captar perfectamente la atención del que la mira.

Siempre es un placer, volver a esta tu galería.

Besos

A.Tapadinhas disse...

Si es lo que parece: Se é sempre um prazer para ti, para mim é igualmente. Sobretudo pelas palavras simpáticas.

Bem-vinda!

Beijo,
António

Pena disse...

Precioso e Valioso Amigo António:
Mais um registo pictórico extraordinário e fabuloso de quem pinta de forma celestial e pleno de brilhantismo de fascinar.
Este "Inadaptados Acrílico s/tela 60x60cm" - A Caminhada, tem contornos de uma beleza profunda de mistério e é incrível e majestoso no sentir e no ser.
Excelente, fantástico Amigo de ouro.
Expressa-se de forma harmoniosa e admirável, alicerçada a um gosto de requinte só pertença sua.
Parabéns.MUITO OBRIGADO pela sua partilha mágica de sentimentos.
Abraço amigo de quem lhe quer bem.
Com respeito enorme e puro.
Já não me suscita admiração o seu génio. O que faz é extraordinário.

pena


É um Ser Humano de excelência, sabia?
Bem-Haja, amigo admirável António.

jefhcardoso disse...

Belissima tela, tens mais uma cria.
Abraço amigo.

Tertúlias... disse...

Lindo trabalho. Realmente muito especial. Como aprecio esta tua capacidade ininterrupta de criacao. Um exemplo!!!!!!!! Uma linda noite deseja
Ricardo

Isabel disse...

Distinta, pero tremendamente viva. Besos.
http://senderosintrincados.blogspot.com

A.Tapadinhas disse...

Pena: Agradeço as suas palavras de todo o coração.

A sinceridade com que as expressa, deixam-me, sempre, muito comovido.

Gostaria de ter o seu génio para expressar os meus sentimentos. Assim, limito-me a dizer: Muito obrigado!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

jefhcardoso: Obrigado!

Vamos já tratar dela!
:)

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Tertúlias: Às vezes, dou por mim a pensar que nunca julguei ter tanto tempo o meu blogue activo...

...mas penso que a "culpa" não é minha: São os meus amigos com as suas palavras que são o seu suporte de vida.
:)

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Isabel: A vida é bela!

Tão bela, que até ganhou um Óscar!

Beijo,
António

Graça Pereira disse...

Um fim de semana cheio de sol e de...criatividade que sei que po aqui...nunca falta!
Beijo
Graça

Walmir Lima disse...

Antonio
Imprerssionante a liguagem pictórica. Lembra-me Morse
ao buscar, através do seu código,
unir, à distântias. seres.
A mim me agrada profundamente
eplo equilibrio. Vibro com o novo.
Lemos

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Foi realmente um fim-de-semana, bom!

Agradeço a tua visita e desejo-te uma boa semana, cheia de criatividade!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge/Walmir: Quem tem um coração tão grande, claro que vibra com o novo!

Sinto-me muito reconfortado por ser a minha obra a recordar-lhe esta verdade!

Abraço para os amigos,
António