quinta-feira, 11 de março de 2010

VIOLÊNCIA


Parque Catarina Eufémia Óleo sobre Tela 50x60cm

Hoje de manhã, vi na televisão um grupo de deputados do Canadá, a comerem com satisfação carne de golfinho. Alguns, com o garfo espetado para a câmara, com um largo sorriso, mostravam o seu aprazimento pelo acto. Tudo isto, para demonstrarem à EU, que se estavam borrifando para as suas recomendações, na preservação desta espécie.
Lembrei-me deste quadro, que mostra um pequeno lago no Parque Catarina Eufémia, no Barreiro, que eu costumava frequentar com as minhas filhas.
Aqueles cisnes negros, que nadam alegremente, foram, dias depois, mortos por alguns energúmenos, sem nenhuma razão aparente.
Os deputados, coitados, estão a lutar pela sua sobrevivência, por isso, têm de comer golfinhos…
Até agora ainda não consegui decidir quem me causa maior repulsa.

28 comentários:

Ava disse...

Há comportamentos de seres humanos que são bestiais.

Isso independe de credo, raça, cor, ou posição social.
O que é lamentável, porque quando temos notícia de um bando de deputados tripudiando em cima das leis que preservam os animais, e energúmenos a caçar cisnens negros em um parque, temos que nos perguntar: Quem são realmente os animais?


A beleza do parque está aqui eternizada pelas suas belas e sensíveis mãos...

B.B.

Sí es lo que parece disse...

Qué triste Antonio, adoro los delfines no se me hubiese pasado nunca por la imaginación que alguien pudiese hacer algo así.

Y lo que menos aún entiendo es que, salgan en televisión presumiendo por ello.

Como bien dices repulsivo, ya no quedan alimentos en Canadá? Se comerán después los unos a los otros?

Saludos
bonita imagen

Graça Pereira disse...

Qualquer dia ( e se calhar, não muito longe, infelizmente) só recordaremos as coisas através de telas bonitas como a tua ou de fotos porque ,tudo o resto ,o homem já deu conta.
Claro que não são os pobres, nem mendigos...esses, coitados, de barriga vazia, alimentam-se do belo que a natureza lhes dá.
Beijo e parabens pelo quadro.
Graça

linda lourenco disse...

Indignação, trafico de animais que eu penso esse comportamento,dessa
gente e arrogantes.
o Golfinho ,ser aquático harmonioso
E inteligente.
Matar por maldade,ou capricho pelo prazer da carne é crime...
Aonde que vamos chegar nesse mundo,Sem animais e vegetação..
beijos.
linda.

Anne M. Moor disse...

António

Este quadro eterniza a sensibilidade de alguns homens - tu - que graças ao bom Deus ainda existem!

A violência que anda solta no mundo é algo que também me enoja e, principalmente, me deixa muito triste... Nós já vivemos, mas o que me dói é ver que os jovens não têm lá muita esperança no futuro!!!!

Beijo grande
Anne

jorge disse...

¿Carne de delfin?

Creo que es mucho peor los que mataron los cisnes del parque.
Violencia gratuita.

No creo peor (lo siento) comer delfin que pez espada, salmon o vaca.

¿Los delfines son una especie en peligro de extincion?

Tu cuadro me parece una maravilla (aunque esta vez no se agranda lo suficiente para disfrutar de las figuras de enfrente).

Es de esas obras que me deja atontado delante de ella, y despues de un buen rato sin poder apartar la mirada no se decir por que.

Flavio Ferrari disse...

Honestamente, não vejo nenhuma diferença entre comer carne de golfinho ou um bom churrasco ...
Nunca comi golfinhos ... e não gosto de churrasco.

Nilredloh disse...

Os golfinhos são dos mais inteligentes mamíferos que existem, segundo estudos, de um nível de inteligência comparável ao de primatas... com a extinção das espécies, cada vez mais vamos percebendo que todos os mamíferos... que é uma pena comê-los. Comer golfinhos está perto do canibalismo. Deputados ainda por cima, não tem desculpa! Os canadianos matam as focas bebés à paulada, num ritual sanguinário e sádico para lhes tirarem a pele: quem além dos famosos costureiros internacionais e das anoréticas modelos precisam disso? Notícias muito deprimentes.
A sua pintura dos cisnes, António, mostra da melhor maneira a barbárie acontecida dias depois: a bonança antes da tempestade, o que se perdeu sem necessidade nenhuma, apenas por maldade humana.
Um abraço amigo,
Jorge

Udi disse...

Já é a segunda vez que entro para tentar tecer um comentário mas nada me ocorre. Exceto pelo episódio dos "energúmenos" que mataram os cisnes pelo simples prazer de matar, não sei se me cabe julgar os demais...

Já a pintura, me alegra demais. São das raras nas quais que você coloca "gentes" :)

Tertúlias... disse...

Questionamento difícil... também nao saberoa dizer quem me causa mais repulsa... Que horror!!!! Como Ava disse: bestiáis!

A.Tapadinhas disse...

Ava: Todos já sabemos isso, mas de vez em quando, há situações que nos deixam mais incomodados...

Algumas vezes é por estarmos mais vulneráveis...

...outras, por estarmos mais agressivos.

Agora, estou sensível, por isso, lhe dou (adivinhe:)

B.B.
António

A.Tapadinhas disse...

Si es lo que parece: Para mim, cada vez é mais difícil conviver com a maldade dos homens.

E fico surpreendido com isso! Seria natural que, com a idade, ganhássemos uma nova couraça...

Saludos,
António

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Já há muitos animais e plantas que fazem parte do catálogo das coisas extintas...

Para um optimista, serão compensados pelas novas espécies...

Um deve e haver complicado!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Linda Lourenço: Não estou assim tão pessimista! Espero que no fim o bom senso prevaleça.

A consciência do problema é o princípio da sua resolução...

Beijos,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Não consigo ser tão pessimista - e radical! - como alguns dos meus amigos!

Temos de confiar no mundo que deixamos aos nossos filhos!

O que não faz sentido é termos de ser nós a dar confiança aos jovens que não acreditam no seu futuro...

O futuro a Deus pertence... e aos jovens, gostaria de acrescentar eu!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Matar os cisnes por nada é uma selvajaria!

Pessoas com responsabilidades, a exibirem-se na televisão a praticar um acto que incomoda muita gente é não respeitar os outros.

Eu, que na juventude andava a caçar pássaros para comer (o único pássaro que não matava era a andorinha), cacei veados, pacaças, homens, hoje, sou perfeitamente incapaz de fazer mal a uma mosca, literalmente! Uma aranha na minha casa, se for vista por mim, está salva: pegarei nela com cuidado para a levar para o jardim. Agora, nem mato as vespas!

Em Portugal, nos estuários do Tejo e do Sado, habitavam colónias de golfinhos, sendo que, actualmente, só existem uns poucos no Sado. É uma espécie protegida, o
golfinho-roaz.

Fiz esta postagem a partir de uma fotografia que passei no scanner e, por isso, não tem a definição habitual...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio Ferrari: Um colega meu do Marketing, só comia carne, desde que não conseguisse identificar de que animal provinha. Na altura, eu gozava com ele; hoje não sei...

Um dia destes dou por mim a tornar-me vegetariano...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Nilredloh: Sou capaz de aceitar que alguém para sobreviver coma até os sapatos e os atacadores, como fez Chaplin...

Tenho uma postagem com o desenho de uma foca que, por brincadeira, eu digo que foi salva pela minha filha. Ela não autorizou que eu lhe colocasse o sangue... Foi para a exposição, sem esses sinais de selvajaria...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Udi: Eu aceito que um povo, uma raça, pratique actos que, para mim, sejam repugnantes mas que na sua cultura sejam normais...

Agora, a sua exibição, em frente de câmaras numa violência e provocação gratuitas, é que eu não entendo, nem posso aceitar.

Lembrei-me de um ministro da agricultura português que quando da crise das vacas-loucas, apareceu na televisão a comer miolos de vaca...

Já devia estar contagiado...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Tertúlias: São os dois criticáveis: um pela provocação, outro pela gratuitidade do acto...

Abraço,
António

Pena disse...

Notável Amigo:
Realmente, muito lamentável.
Um Mundo que não devia existir de falsidade e valores. Princípios de respeito e condutas adequadas em prol do bem-estar da humanidade de que é um exemplo o meu amigo.
Abraço amigo de imensa admiração.
MUITO OBRIGADO.

pena

A.Tapadinhas disse...

Pena: Não somos obrigados a conformar-nos com o mundo que temos...

Cada um à sua maneira, deverá fazer a sua parte, para o deixar melhor.

Aquilo que me preocupa é quando alguns tentam impor os seus pontos de vista...

Abraço,
António

Fernanda Irene disse...

Aquí, en Cádiz, también tenemos un Parque, se llama "El Parque del Genovés", se caracteriza por la gran variedad de árboles y su especial poda. También tiene una pequeña cascada y un lago con patos. Todos los niños de Cádiz han ido alguna vez a jugar allí y, sobre todo, han llevado pan o palomitas para echárselas a los patos que venían a comer de sus manos. Un día aparecieron muertos, asesinados cruelmente. Como ves, en todos lados hay energúmenos.
En cuanto a los diputados comiendo carne de delfín... bueno, eso es menos extraño, todos sabemos que un político es capaz de comerse a su propia madre con patatas si de ello depende su cargo.

Un beso, querido.

A.Tapadinhas disse...

Fernanda Irene: Estive a ver o "Parque del Genovés" e dá para perceber que é realmente muito agradável...

Mas, preciso de recuperar o fôlego, não pelo passeio no parque...

No final do teu comentário, sobre os políticos, só te digo, que ainda me estou a rir!
hehehe

Beijo,
António

continuando assim... disse...

MAIS LOGO, um novo capítulo da história de Alice.
lá no,
... continuando assim...

Aceito , e agradeço as vossas sugestões ... talvez a letra esteja pequena... talvez o blogue possa estar confuso.... talvez ... e talvez :)
talvez nem gostem da história...

Enfim...qualquer coisa, digam.
até logo

obrigada por seguirem
Bj
teresa

Cleo Borges disse...

Bonita tela Antonio, mas quanto ao caso ocorrido, nao tenho palavras pra falar sobre o fato...as palvras indignadas morrem em meus labios, por nad aoder fazer...
Receba emu abraço d efé e Espernça,
Cléo Borges

A.Tapadinhas disse...

continuando assim: Mais logo vou ver como continua a Alice, e farei um comentário, como é habitual, se me der alguma razão para acreditar que leu ou olhou para a minha postagem...

Cumprimentos
António

A.Tapadinhas disse...

Cleo Borges: Há coisas que nos deixam sem palavras, não é?

E quase sempre por más razões...

Beijo,
António