quarta-feira, 3 de março de 2010

CRIANÇA COMO NÓS II


Marina de Portimão Acrílico sobre Tela 50x70cm
(clique sobre a imagem)

Continuei, com a pincelada curta mas carregada de tinta, a preencher as casas com as cores quentes, tendo o cuidado de com a espátula fazer o seu reflexo nas águas da marina.


Marina de Portimão (pormenor)

A ligeira brisa que soprava fazia vibrar, cantar as cores quentes, sobre o azul das águas que timidamente espreitam, por entre aquele caleidoscópio de cores.
Procurei que a visão das formas rígidas das casas, fosse submergida pela experiência visual das cores.
A alegria que me inundava o coração quis reflecti-la neste quadro.
Eu sinto-a em cada uma das suas nuances…

51 comentários:

Sí es lo que parece disse...

Qué lindo Antonio, me encanta.

Esa mezcla de azules y naranjas me parece preciosa, los reflejos que tanto me gustan...me has transmitido esa alegría de la que nos hablas. Mil gracias

Besos

Ava disse...

António, não sei se vejo ou se ouço a cores...

A sua presença e a do doce Rafael está impregnada nesse quadro.
Sinto, num leve fechar de olhos, voces de mãos dadas a caminhar pela beira, como que completando tanta beleza.

Que admiração tenho por voce e por esse amor que derramas generosamente pelas pontas dos dedos, tranfosmando sentimentos e paisagens em belas pinturas.


B. B. Encantados...

Flavio Ferrari disse...

Muito alegre ... inspira felicidade e tranquilidade.

jorge disse...

siempre te digo que dejaria los cuadros cuando ya me encantan porque soy tan malo pintando que cuando lo que veo me gusta, yo no tocaria nada mas.

pero claro tu consigues siempre mejorarlos.

este es genial (y esta vez no por los azules (jejeje).

Y, como siempre, recomiendo a tus visitantes que piquen en la imagen y la vean grande.

luis santos disse...

D. Dinis, Rafael, Crianças como nós, tudo de regalar o olho e encher o coração. Esperamos poder contar com a tua mestria no "Estudo Geral".

Abraço,
Luis.

Anne M. Moor disse...

António

Eu queeeeeeeeeeeeero... Mas faltou algo neste teu quadro :-). Onde estás tu e o Rafael, ele te puxando, entusiasmado????

Lindo, lindo, lindo...

Beijos refletidos :-) (novo)
Anne

direitinho disse...

Quadros muito bonitos.
Parabens.

A.Tapadinhas disse...

Si es lo que parece: A mim também me encantou!

Consegui o que queria, ao transmitir essa alegria, que estava no ar, para a tela...

Eu é que agradeço as tuas palavras.

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Ava: A cor é feita de vibrações que só as pessoas mais sensíveis as conseguem sentir! A minha amiga é uma das escolhidas!

Acho que, quando eu ou alguém lhe contar a história desta obra, ele a vai entender perfeitamente.

A Ava tem o dom de transformar as palavras em música para os meus ouvidos...
rsrsrs

B.B.
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio Ferrari: As suas palavras, dizem que o meu objectivo foi atingido.

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Se algum dia nos encontrarmos gostava de testar a tua habilidade para pintar.

Estás sempre a dizer que não sabes pintar mas...

...talvez, quem sabe, se esteja a perder algum pintor de excepção...

Com ou sem azuis...
rsrsrs

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

luis santos: Obrigado pelas tuas palavras!

Só tens de dizer como é que posso colaborar no "Estudo Geral".

Abraço amigo,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Acho que tens de te contentar com a fotografia...

Amanhã vai ser entregue para ser exposta. Vamos ver o que acontece!

Beijo sem pensar (novo)!
António

A.Tapadinhas disse...

direitinho: Obrigado pela visita e pelas palavras amáveis!

Abraço,
António

Ernesto Dias Jr. disse...

Belíssimo, António. Belíssimo.
Candidatíssimo a meu predileto.
Acho que é o primeiro quadro seu com barcos modernos, né não?

linda lourenco disse...

A paixão e a ternura essa obra divinal!

vermelha paixão,Azul sereno, Não é a marca das tintas,mas sim São as marcas de amor que o António dedicou ao seu pequeno e Amado Rafael.
bem ate comovei me a lhe mandar esta carta de felicitations!
beijinhos.

continuando assim... disse...

convite para seguir a história de Alice , lá no --- continuando assim --- ainda vai no princípio :) espero que gostes

bj
teresa

Ava disse...

Podemos acariciar as pessoas com palavras...



B.B.

GINEBRA disse...

Los colores anarajados y azules son fantásticos y también los reflejos en el agua. Felicidades!!!!

Udi disse...

Pura alegria!
A-do-ro cor de laranja ou seria abóbora? (terracota, talvez?).
É uma delícia de olhar a imagem ampliada! A sensação do olhar captando uma energia (emoção) que vai direto ao coração!

Pormenor é detalhe? Ainda sem a assinatura, pois não?
:)
beijo!

Antonio disse...

Meu caro xará:
gostei muito do seu blog e já tenho o privilégio de ser mais um seguidor..Lindo o seu trabalho de jogo de cores e luzes..Parabéns..
Antonio

A.Tapadinhas disse...

Ernesto: Bem-vindo, amigo! Fui confirmar se já tinha acesso ao Assertiva. Tenho e ao que parece com o brinde, Legítima defesa...

Estou de acordo consigo sobre a beleza do meu último trabalho, não só porque, normalmente, gosto mais do mais recente, mas também, por ser diferente... Vou repetir este estilo.

Pensando, acho que tem razão: barcos modernos têm sido excluídos das minhas telas...

Gostei de o "ver" pelo Sem Margens!

Abração,
António

A.Tapadinhas disse...

linda lourenço: O tema não é essencial para se conseguir uma obra com beleza... mas ajuda!

As cores vibrantes reflectidas nas águas são muito inspiradoras!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

continuando assim...

Convite aceite!

Vou passar por lá, com prazer!

Obrigado!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Ava: Eu senti...

Digo mais: até com o pensamento!

B.B.
António

A.Tapadinhas disse...

GINEBRA: É bom para um artista saber que a sua mensagem passa para os obervadores...

Gracias!

Un saludo cariñoso!
António

A.Tapadinhas disse...

Udi: Tem razão nas cores que sugere.

O segredo para tornar as cores mais vibrantes está em utilizá-las puras. Para obter aquela sensação, eu cobri a tela com pinceladas curtas de cinco cores diferentes: terrakotta, burnt sienna, madder carmine, cadmium yellow deep hue e orange. A frequência das pinceladas é que definem as variações de cor...

Pormenor é um detalhe do quadro, neste caso, dos reflexos. Embora eu recomende para os mais curiosos, um clique sobre a imagem, sei que nem todos se dão a esse trabalho. Por isso, mostrei esse detalhe que, talvez, quem sabe, servirá para uma tela, tamanho XXL...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Antonio: Tenho o maior prazer em tê-lo no meu Sem Margens...

Sinto-me honrado com as suas palavras amáveis...

Abraço especial (de xará)!
António

Benó disse...

Viu a Marina cheia de água, quase a transbordar?
A pintura retrata bem as cores vibrantes dos apartamentos à volta, num dia de calmaria.

A.Tapadinhas disse...

Quando lá estive, as ondas ultrapassavam as pedras e batiam no muro de protecção...

A minha filha disse que não se lembrava de a água chegar ali.

Cumprimentos,
António

luis disse...

António

Tem sido princípio do Estudo Geral que ele é de quem o agarrar, desde que venha por bem. Por isso, o Croca, o Raul Costa, o Luís Carlos e o Diogo Correia fazem parte do Conselho Editorial. Pela minha parte, convido-te já para integrares o dito Conselho. Se estiveres nessa disposição, só terei de consultar os outros... Penso que ninguém se oporá. Depois serás um parceiro entre parceiros com todos os direitos. Até lá, tudo o que quiseres publicar é só enviares para o meu e-mail que eu publicarei. Aliás, sente-se uma falta imensa da presença no Estudo Geral de boa pintura, como é o caso da tua e do conhecimento que manifestas na área. Seria bom que pudesses editorializar essa parte. Da maneira que quiseres, sobretudo, com coisas próprias, ou próximas, já que se privilegia o âmbito local, embora não necessariamente. Mas tudo isto é só uma sugestão, porque tens absolutamente carta branca para publicares o que te apeteça. Não é novidade que eu confio imenso no tua sensibilidade, no sentido de responsabilidade e no bom gosto.

Por isso te mando Abraços Grandes.
Luis.

Graça Pereira disse...

Vim ver como tinha ficado o quadro... Surpreendente na sua finalização: a percepção das águas em movimento, as cores fortes, as casas parecem que têm vida... imagino alguém por detrás das janelas...
Uma tela para mim, é aquilo que o pintor lá pôs, mais aquilo que ele deixa advinhar...
Belissimo.Parabens!
Um beijo
Graça

Pena disse...

Admirável Amigo António:
Mais uma explosão pictórica fabulosa nesta Marina de Portimão Acrílico sobre Tela 50x70cm.
As cores quentes em contraste com o rio são perfeitas numa obra perfeita.
Abraço amigo de respeito pelo seu harmonioso sentir.

pena

Bem-Haja, pela sua amizade que prezo imenso.
MUITO OBRIGADO.
Bem-Haja, fabuloso amigo.
Extraordinário. Admirável num Ser Humano gigante.

continuando assim... disse...

convite para seguir a história de Alice, lá no
--- continuando assim... ---
ainda só vai no início :)

espero que gostes

bj
teresa

A.Tapadinhas disse...

Luis: Apesar da minha idade, ainda fico embaraçado, quando alguém me presenteia com elogios, conforme tu fazes, frequentemente. Agradeço, não os proíbo, porque por demasiadas vezes tenho ouvido, quando estou num velório, pessoas a recriminarem-se por não terem dito o que deviam em vida do defunto. Por isso, eu próprio, não poupo elogios a quem os merece.

Longa introdução, para te dizer que não é necessário eu figurar no corpo editorial do Estudo Geral. Basta-me ter o acesso ao teu mail, para publicar o que me apetecer, segundo as tuas próprias palavras...

Agradeço a tua confiança e as amáveis palavras.

Abraços para todos.
Um especial para ti,

António

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Eu também fico surpreendido com a beleza que se pode recolher das coisas mais simples...

Este nem será o caso: os reflexos da água são muito complexos para os representar em duas dimensões...

Não escondo que fiquei muito satisfeito com o resultado.

Agradeço as tuas palavras.

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Pena: "As cores quentes em contraste com o rio são perfeitas numa obra perfeita."

Aproprio-me das palavras que me dirigiu, para as devolver, com a garantia que muito me sensibilazaram.

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

continuando assim...

A minha curiosidade mantém-se, dada a qualidade da história...

Beijo,
António

Ava disse...

Beijos de domingo...

xistosa - (josé torres) disse...

É uma pintura ou uma foto a 3D.
Muito, muito quente.

Uma boa semana.

Léo Metallica disse...

Lindo o quadro.

Fico impressionado com o que tu faz com as cores quentes, parece ser tua especialidade.

Imagino que um passeio pelas arábias, índia ou Africa Central nos traria excelentes pinturas.

Direto do Rio.
Abraço.

A.Tapadinhas disse...

Ava: Beijos para toda a semana, ou seja,

B.B.
António

A.Tapadinhas disse...

xistosa (José Torres):

Não apagou, ainda, o frio deste Inverno chuvoso...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Léo Metallica: Acho que é para compensar do frio e chuva, que temos por cá.

Se nós somos um produto do meio que nos cerca, os pintores também serão influenciados da mesma maneira...

Era preciso ser masoquista para ir a um desses locais (não mencionaste o Brasil) pintar paisagens frias...

Abraço,
António

linda lourenco disse...

olá:)um lindo selo está a sua epera no meu blog.
beijinho.
Linda.

A.Tapadinhas disse...

Linda Lourenço: Muito obrigado pela sua atenção.

Vou guardá-lo nos meus documentos.

Beijo,
António

Barbara disse...

Vívida.

A.Tapadinhas disse...

Barbara: Dúvida.

Ava disse...

MH, HM, tudo se torna perfeito quando há a junção dessas duas letrinhas...rs

Aí temos o dia ideal... Para ambos...

Querido Antonio, andas a viciar-me em tí...rs

B.B. viciantes...

A.Tapadinhas disse...

Ava: Vício, Virtude! Não é por acaso que estão muito próximas no dicionário!

Não acredito em acasos, talvez por isso, o Vício aparece primeiro!
rsrsrs

A sério: Onde acaba o Vício e começa a Virtude?

B.B. (virtuosos:)
António

Léo Metallica disse...

Ah de fato. O Brasil também é um país quente.

Direto do Rio.
Abraço.