domingo, 24 de outubro de 2010

AS CIDADES DAS EMOÇÕES


Lisboa Elevador de S. Justa Autor António Tapadinhas
Óleo sobre Tela 80x100cm

Esta obra esteve exposta junto com outra porque tinham em comum as cores utilizadas e um elemento colocado na Secção de Ouro, ou Divina Proporção, como lhe chamou mais tarde Leonardo da Vinci no seu Tratado da Pintura – o Elevador de Santa Justa.
A outra, que apresentarei a seguir, procura transmitir a sensação das cores quentes e da luz estonteante nos telhados de Lisboa. Esta, apelando mais à imaginação do observador, tem a construção cubista/cézanniana do mundo.
O movimento cubista iniciado por Braque e Picasso, divide-se normalmente em três fases. A primeira, Cézannianna, dizia que tudo se pode reduzir a cones, cilindros e esferas. A segunda, Analítica, em que as obras são trabalhadas numa cor base, e por fim, a fase do Cubismo Sintético, que é a mais geometrizada e a mais abstracta de todas. Todos os pintores de qualquer destas fases tinham em comum a admiração, a veneração por Cézanne e a sua visão construtiva do mundo.
Eu também!

37 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Que linda obra de arte!
incrível!
Com todo o respeito, mas muito lhe invejo, como gostaria de saber pintar algo tão lindo assim!
bom domingo

lolipop disse...

Acho que vai ser impossível não nos repetirmos nestes comentários...Que trabalho magnífico...e eu gosto bastante dessa primeira fase do Cubismo...
Parabéns pela obra!
BEIJOS GRANDES

Rogério Pereira disse...

Gustave Eiffel e o discípulo que o edificou ficaram agradados e também a mim me agradou...

Abraço

Tertúlias... disse...

Lindo!!!!!!!!!

Anne M. Moor disse...

António

Esta tua obra tem uma profundidade imensa e as janelas e portas que tanto gosto :-)

Beijos
Anne

Ava disse...

Moço, aqui deliciando-me com suas aulas de pintura...

Seu trabalho, aliado a sua escrita sempre me fascina, sabes disso...



BB fascinados...

Flavio Ferrari disse...

Lindíssimo ... uma obra elevada !

Antonio disse...

Faço eco aos comentários anteriores sobre o seu magnifico trabalho. Gosto das suas postagens porque você fala um pouco sobre a obra, sobre o trabalho de criação e as sensções que teve quando o fez. Para mim, que sou leigo, é de grande ajuda..
Parabéns pelo trabalho, abraços e boa semana

A.Tapadinhas disse...

Alexandre: Quem sabe um dia não descobre que, lá bem no fundo, há um pintor que luta por se revelar...

Obrigado pelas amáveis palavras!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

lolipop: As pessoas sensíveis são assim: cobrem de elogios os amigos sempre que têm oportunidade...

...e eu agradeço!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Rogério Pereira: Espero que o velho Gustave concorde contigo...
:)

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Tertúlias: De regresso? Já vou confirmar!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Tenho a impressão que esta tem mais do que habitualmente...

Vou contá-las e depois informo-te.
:)

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Ava: Sei, mas é sempre bom ouvir!

Para a pessoa amada, nunca será demais ouvir dizer, amo-te!

Um pintor não foge à regra!

BB
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio: Já andaste no elevador?!
:)

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Antonio: Retratou com precisão os objectivos do meu blogue.

De uma maneira geral, quando se fala sobre pintura, usa-se uma linguagem cifrada, hermética, só compreensível por alguns eleitos.

Complicam o que, afinal, é simples:
gostamos ou não!

Abraço,
António

São disse...

Que interessante: ainda ontem fotografei o elevador!

Boa semaana.

piedadevieira disse...

Também admiro Cézanne.
Maravilhosa essa obra.
Beijinhos

ARTE E VIDA disse...

Bela obra.Parabéns

ARTE E VIDA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Graça Pereira disse...

Emoções...emocionante...são palavras que esta tela desperta! A explicação do movimento cubista e as suas fases, enriquece ainda mais o teu trabalho!
Regressei ontem de Liverpool onde, na Catedral anglicana ( um dos maiores edifícios do mundo...) assisti a duas exposições: uma de fotografias e outra de pintura( esta, colectiva)ambas, maravilhosas.
Só lamento o tempo...que me soube a pouco!!
Beijo
Graça

Emílio Júnior disse...

Eu começei olhar esse quadro da minha esquerda para a minha direita, foi essa a intensão?

A.Tapadinhas disse...

São: Quem fotografa Lisboa, é inevitável que apanhe o elevador...

...e sem pagar bilhete!
:)
Boa semana.

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

piedadevieira: Quem gosta de pintura, gosta naturalmente de Cézanne.

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Arte e Vida: Obrigado pela visita e palavras amáveis.

António

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Gostava naturalmente de visitar Liverpool...

...mas quando falo dessa cidade lembro-me dos Beatles e do Liverpool Football Club...

...não de pintura!
:)

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Emilio Júnior: Normalmente é assim que as pessoas vêm os quadros.

Neste caso, procurei que o olhar se detivesse no centro do espaço pictórico a apreciar o elemento pricipal, o elevador, e só depois guiar o olhar para o fundo da pintura por uma diagonal que corta a sua superfície da esquerda para a direita.

Abraço,
António

Fernanda disse...

Amigo António!

Obrigada pela partilha da obra lindíssima da cidade de Lisboa e um dos seus ex-libris, nos tons mais quentes em pintura, que eu pessoalmente adoro.

Um enorme bem haja pela lição deixada aqui sobre cubismo e Cezanne.
Aprendo muito hoje.

Beijo

jorge disse...

Me parece increible la capacidad de los artista de pintar cuadrados y tramitir ciudades.

Esa capacidad de crear es la que te envidio, porque me creo capaz de pintar cuadrados, pero todo el mundo veria cuadrados.

A.Tapadinhas disse...

Fernanda: Quentes são as suas palavras! Aqueceram-me o coração!

É óptimo que nunca percamos a vontade de aprender! Essa capacidade mantém-nos vivos e actuantes...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Já me fizeste rir com o teu comentário! E olha que não é coisa pouca, com os problemas que Portugal enfrenta...

Não tens que me invejar. O espectador é que tem essa capacidade!

Abraço,
António

Humberto Dib disse...

Excelente meu amigo, sei que quando dou um pulinho por aqui é para ver coisa boa, te agradeço por compartilhar beleza.
Um abraço deste brasileiro em Buenos Aires.
Humberto.

flor de jasmim disse...

António

Tarde mas vim e como sempre um trabalho magnífico falando ao permenor do que fez transmite-nos uma beleza maior ao olhar essa obra.

Abraço

A.Tapadinhas disse...

Humberto: Visita de brasileiro é visita de irmão!

É uma alegria receber-te!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

flor de jasmim: Nunca é tarde para receber uma amiga!

Abraço,
António

Luna Sanchez disse...

Parece que se pode mesmo passear por ali...talvez se possa.

* Passando para conhecer. Gostei daqui.

ℓυηα

A.Tapadinhas disse...

Luna Sanchez: Com imaginação tudo se consegue...

...até conquistar o poder!

Grato pela visita! Volte sempre!

Beijo,
António