sábado, 16 de maio de 2009

A TERCEIRA PONTE


Barcos na Praia - Barreiro Óleo sobre Tela 100x100cm

Tenho escrito tanto a propósito do Barreiro, das suas antigas indústrias, da sua zona ribeirinha, dos seus moinhos de Alburrica, que acho só falta escrever sobre a construção da terceira ponte sobre o Tejo, entre Chelas e Barreiro, que deverá ficar concluída em 2013.
A construção desta ponte vai obrigar à dragagem de lodos fortemente contaminados devido às antigas indústrias do Barreiro, com níveis muito elevados de mercúrio, arsénio, chumbo…
Deixo as doutas considerações sobre os Estudos de Impacto Ambiental e sobre a malha viária da cidade de Lisboa, para as entidades competentes, mas estou preocupado:
Um tabuleiro rodoviário e ferroviário, mais os acessos, vão modificar toda esta paisagem, em nome do progresso, esse deus conhecido em que, ao contrário das personagens do livro de John Steinbeck, A um Deus Desconhecido, o amor pela terra e pela liberdade, já sabemos, nem sempre são salvaguardados.
Em 2014, saberemos se tenho razão nos meus receios.

68 comentários:

Melba disse...


¡Qué bien!, me gusta la temática y el colorido.

♥♥

marisa disse...

antonio.. eres un artista..

Ana disse...

Que bello paisaje,cuanta luz y vida das,no sé si he entendido bien lo que escribe pero creo que has puesto que vá desaparecer este paisaje por un puente que quieren hacer ó por una obra algo así he entendido,pues si es así es una verdadera pena porque tiene que ser un sitio precioso.
Que pases un buen fin de semana.
Saludos
PD:espero tu opinión de mis cuadros pues acepto todas las criticas pues ello me ayuda

jorge disse...

Los paisages cambian y a veces cambian formas de vida.

El progreso abre nuevos puentes...

... pero progreso para unos, suele ser retroceso para otros.

Esperemos que esta vez salga todo el mundo ganando.

¿Es eso posible?

Anne M. Moor disse...

Será que o progresso precisa sempre interferir no 'amor pela terra e pela liberdade'. Porque será que os encarregados pelo tal 'progresso' não podem ser mais competentes e sensíveis??????

Sensíveis como tu, artista fantástico... Que tela!! Movimento (que tanto gosto) n'água e especialmente no céu. Olhem essas nuvens!!! Lindo! Parabéns!

Beijos

Avassaladora disse...

António, que pintura linda!

Uma sensanção que há vida na tela.

Seria tão bom se os governantes atentassem mais para a preservação do meio ambiante... Aqui tb nossos rio sofrem uma degradação que já dura anos...
Nem com toda a tecnologia existente, é possivel evitar desastres ambientais que são uma vergonha...

No caso aí , talvez as obras tragam pelo menos a preservação do Tejo. É uma pena que a paisagem tenha que ser prejudicada em nome do progresso!

Alea jacta est!

Beijos avassaladores!

leticia disse...

Qué cuadro más lindo!Es verdad que el progreso muchas veces arrasa con el paisaje, pero no hay nada que podamos hacer, ¿o si?
Te dejo besitos.

A.Tapadinhas disse...

Melba: Obrigado! Volta sempre.

António

A.Tapadinhas disse...

marisa: Gracias!

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Ana: Temos de esperar que se possa guardar o que de bom tem a paisagem actual.

Tem um bom Domingo.

Vou visitar, já a seguir o teu espaço.

Un saludo cariñoso.
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Ninguém pode ser contra o progresso e ganhar: ele é inexorável no seu caminho.

A questão é: será que podemos ter o melhor de dois mundos tão diferentes?

Cabe a nós questionar, mostrar alternativas... e escolher as pessoas certas para as executar!

Entre não fazer nada, destruir o que há para fazer de novo, acredito que a haja uma terceira via - o simbolismo com a 3.ª ponte...

Abraço.
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: As tuas questões são muito semelhantes às de Jorge e as minhas respostas serão fatalmente iguais...

Tomei banho nas águas que me indicaste, respirei o ar salsuginoso, olhei o céu coberto de nuvens e senti-me no Paraíso...

Quando queremos, é tão simples ser feliz...

Beijo salgado.
António

A.Tapadinhas disse...

Avassaladora: Ao contrário de Astérix, que vive numa pequena aldeia de gauleses irredutíveis, não vai ser fácil às legiões romanas, vencer o crescente número de resistentes que, não sendo contra o progresso, acham que não pode ser feito à custa ou até contra as pessoas...

Estás a ver o que arranjaste com a frase Alea jacta est!? Lembrei-me de César e do impagável herói gaulês...

Tenho a certeza que estes problemas não são como a quadratura do círculo... Vão ter solução!

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

leticia: Estarmos atentos a quem, de uma maneira que assente na realidade, tenha as soluções que sejam melhores... sem demagogias...

Fazendo isto já estamos a colaborar na solução...

Beijo.
António

Avassaladora disse...

António, bom dia!

Tá vendo, como uma pequena frase nos remete a um passado em frações de segundos...rsrsr

Vamos acampanhando o curso dos acontecimentos...

Tentamos, de alguma forma, nem que seja tipo aquele beija flor tentando apagar um incêndio na floresta!


Beijos avassaladores!

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Sua obra Barcos na Praia é muito bela, como é belo tudo o que você faz.
Amigo António:
Fiz postagem no Galeria sobre o filme A Mulher do Lado, baseado na lenda de Tristão e Isolda. Depois, falo da lenda e exibo a história desses amantes na pintura de um anônimo.
Conto com a sua presença,
Renata
PS: Espero que não eu não o tenha magoado, ou se o magoei, que vc já me tenha perdoado, porque no post sobre o filme Angel havia um pintor, que eu descrevi conforme o filme o mostra.

rm disse...

Nem vou repetir elogios às suas telas: já virou lugar-comum... Só uns comentários laterais:

1) Que construção é aquela, maior, ao fundo?

2) A "cena" é recente ou ainda há aqueles barquinhos de pescadores?

3) Inevitável: a paisagem vai ser perdida.

4) Não entendi. Se o lodo será dragado, pelo menos este impacto será positivo, não?

Juan Carlos Eberhardt disse...

la mirada de una persona de 30 años la tecnica de una persona de 80

Udi disse...

A pintura é maravilhosa e o texto é muito elucidador, combinado com a lucidez da pintura deu-me um desejo imenso de ver ali, entre os barcos, as gentes!
Sempre que venho ver um novo post a alma fica plena e tenho sempre que agradecer: obrigada!
beijos

Anne M. Moor disse...

E, António, pintaste este quadro belíssimo para nosso 'delight'...

Obrigada!

Beijos dominicais :-)

Francisco disse...

Meu amigo e irmão.
Dizer que a tela é espetacular, é, como se diz por aqui, "chover no molhado".
Tenho certeza que em 2014, estaremos comemorando as suas previsões.
Um tríplice abraço!

A.Tapadinhas disse...

Avassaladora: Quase sempre é bom recordar o que passou.

O nosso cérebro é um amigão: com o passar do tempo vai limando as arestas que nos feriram e, como por milagre, todas as recordações que temos são predominantemente agradáveis...

Daí a frase, recorrente nos menos jovens: no meu tempo é que era bom!

Como o beija flor, eu apago incêndio com um

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Renata: Muito obrigado pelos agradáveis comentários...

Claro que irei ver a sua nova postagem, com muito prazer, para saber mais alguma coisa da mulher do lado...
:)
António

A.Tapadinhas disse...

rm:
1) Lá ao fundo está o Moinho de Maré do Braamcamp, que produzia farinha para o Barreiro e também para Lisboa. Foi desactivado em 1897, pertencendo agora à Sociedade Nacional de Cortiças. É o mais novo de um total de seis que existem no Concelho e que merecem uma visita.

2) Aqueles barcos dos pescadores ainda existem e são o ganha-pão de algumas famílias, em exclusivo ou como complemento.

3) Talvez não seja inevitável, se houver a tal sensibilidade ecológica...

4) Dizem os especialistas que os sedimentos do rio encarregaram-se de cobrir os metais pesados perigosos... Fazer furos e mexer no leito do rio pode soltar a fera...

Tudo claro, amigo?

Abraço.
António

A.Tapadinhas disse...

Juan Carlos: Bonita maneira de me chamar jovem...

Abraço.
António

A.Tapadinhas disse...

Udi: Vai ter que se apressar, minha amiga! Não sei se vai durar muito tempo aquela paisagem...

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: Dá-me a ideia que se pintar um quadro a pensar no gosto de alguém, o resultado não será muito bom...

Os artistas são egoístas (rima é porque é verdade!).

Também devem ser vaidosos, porque eu fico muito feliz com os teus elogios!

Não devo merecer castigo,porque confessei o meu pecado...
:)
Boa semana!
Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Francisco: Tenho a sensação que ainda teremos umas batalhas para vencer...

...Mas querer é poder, não é?

Abraço.
António

Fabricante de Sonhos disse...

Oie!
Voltando ao teu espaço para tomar minha dose de boa arte!

Uma tela linda! Uma paisagem linda mesmo....
Viva!

Que tudo que Deus criou seja conservado, não é mesmo...
E alguém precisa se atentar... ver que o assunto é sério! E cuidar.

Uma ótima semana pra vc, viu?

Beijo meu.

Fabricante...

Flavio Ferrari disse...

Meu caro, dia 29 à tarde estarei em Lisboa .. confirmado !
Precisamos trocar telefones ...
(eu fico com o seu e voce com o meu)

arianams disse...

Cof cof cof
Estou neste momento a começar a fazer o Estudo de Tráfego para o Plano de Urbanização da Quimiparque, que inclui a análise dos impactes não só dos novos usos do solo previstos para a área de influência do plano como também os impactes da construção da 3ª travessia, deslocalização do cais dos barcos, nova linha do Metro Sul do Tejo...
Conclusão: em bom português, estou bem lixadinha! ahahahahah
Qualquer dúvida, falamos um com o outro. Que achas, Tó?

Beijinhos

A.Tapadinhas disse...

Fabricante: Sempre à disposição para receber os amigos...

Temos de permanecer atentos se queremos conservar algumas coisas boas que herdámos dos nossos avós...

E ter a suficiente abertura de espírito para aceitar as novas...

Boa semana!
Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Olá Flavio!

Vou mandar-lhe e-mail com as indicações...

Abraço.
António

A.Tapadinhas disse...

Ariana: cof cof?

Vade retro! Não será a gripe A?

Atchim! Atchim! Atchim!
Será a poluição crescente?
Bom ar não é certamente
E a onda não bate assim.
:)
Coincidência engraçada: eu a escrever sobre palpites e tu a trabalhar a sério...

Realmente, não te invejo a sorte...

Do que eu me safei!
Se eu não procurasse fazer o trabalho de casa e tivesse escrito umas asneiras...

Achas que não serei castigado por pressão ilegítima, se te perguntar qualquer coisa?

A sério: Agradeço a tua disponibilidade... mas os meus amigos não têm, até agora, feito perguntas difíceis...

Quando fizer nova postagem sobre a zona entrarei em contacto contigo.

Cumprimentos para todos e um beijo especial para ti.

Toñi disse...

Poco a poco los paisajes cambian. Es lo que tiene, el progreso. Acabarán con cosas malas (la contaminación) pero se llevarán el encanto del paisaje.

Sea como sea, no podemos evitarlo. Así que disfrutaremos de esta bella pintura sin pensar en otras cosas.

Sobre todo, me gusta el contraste: la mitad en amarillos y la mitad en azules. Los tonos más fuertes en el centro y el cielo suavecito.

Me gusta mucho tu pintura.

Un beso.

Avassaladora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Avassaladora disse...

Antonio, há certos incêndios que um beija-flor não consegue apagar...rsrsrs

Amei seu comentário em meu blog.
Meu velho pai, que era um exímio
contador de histórias, ja me contou aquela fábula, (seria fábula?) várias vezes. Ele tinha um estoque de fábulas e histórias, que vivia a repetir para mim e meus irmãos, sempre que fazia-mos uma roda em torno dele...( Olha as velhas lembranças...rs)

Bem, o certo é que realmente não há meios de se agradar a todos...
E muito menos escutar a todos...rsrsrs


Então fico com sua máxima...

Vou ouvir meu coração...rsrsrs




Beijos avassaladores!

A.Tapadinhas disse...

Toñi: Gostava que ficasse para os vindouros, um pouco mais do que uns quadros e fotografias, de como era o nosso mundo...

Muito bem observado: foi uma preocupação minha, para equilibrar o quadro, dividi-lo nessas duas grandes áreas de cores frias e quentes: os azuis e os amarelos.

Gosto que tu gostes!
:)
Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Avassaladora: Ocorreu-me a história quando estava a tentar explicar a dificuldade, quase insuperável de agradar a gregos e trioanos...

Uma figura da história portuguesa, Afonso de Albuquerque, disse a propósito: "Mal com os homens por amor de El-Rei, mal com El-Rei por amor dos homens"...

O melhor é mesmo fazermos a nossa vontade e, na dúvida, ouvir o coração...

Beijo.
António

Cadinho RoCo disse...

O progresso desenfreado é sempre uma ameaça.
Cadinho RoCo

Avassaladora disse...

António, apesar de gostar muitos da pintura das papoilas, As quatro papoilas e Flores compestres,quando resolvi postar aquele poema de Mário Benedetti, Vênus veio a minha memória num piscar de olhos...rsrsr
Já tinha visto lá na sua Galeria do Ernesto Dias. Ela é delumbrante...


Adoro suas histórias... Realmente ´so podemos seguir o coração...

Difícil é quando ele vira pra lado errado...rsrsrs

Até trazê-lo de volta é uma luta...rsrsrs

Beijos avassaladores pra ti!

Branca disse...

Lindíssimas telas! Seus quadros têm vida, têm luz própria...perfeitos!

Uma semana de muita inspiração pra vc!

A.Tapadinhas disse...

Cadinho Roco: Para evitar esse galope desenfreado há uma solução:
rédeas curtas...

Abraço.
António

A.Tapadinhas disse...

Avassaladora: As papoilas ficam tristes, se calhar vão murchar, mas na Primavera renascerão...

O coração é como a mulher: tem sempre razão...

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Branca: As suas palavras são como a cor que lhe deu o nome: são símbolo de luz...

Boa semana.
Beijo.
António

Pena disse...

Admirável Amigo António:
A terceira ponte é como diz:"...deus conhecido em que, ao contrário das personagens do livro de John Steinbeck, A um Deus Desconhecido, o amor pela terra e pela liberdade, já sabemos, nem sempre são salvaguardados.
Em 2014, saberemos se tenho razão nos meus receios..."

Não será melhor, do mesmo autor, existrem algumas reminiscências "Das Vinhas da Ira" que sentem e desejam quem de direito, fervorosa e decididamente...
Amigo: Concordo consigo nas suas preocupações. Plena e amplamente.

Bem-Haja pelo talento que o "habita"...

Com estima e imenso respeito...
Abraço amigo

pena

A Curruncheira disse...

Gosto imenso dos seus cadros de barcos.
Muito obrigada por me permitir disfrutar com eles.

MENSAGENS AO VENTO disse...

________________________________

Tomara que seus temores sejam infundados...

Mais uma bela tela para alegrar os olhos e o coração!


Beijos de luz e o meu carinho...

Zélia (Mundo Azul)

________________________________

Udi disse...

Antóniooo!
fiquei com ciúme da Ava com a Vênus!
(...risos!)
bjs, amigo!

(vai se divertir muito com o Flavio por aí!)

Avassaladora disse...

Pronto, António, agora terá que se haver com uma mulher ciumenta...rsrsrs



Udinha, minha doce amiga...
Eu é que sou muito curiosa... Acabei descobrindo a Vênus primeiro...

Nada de crucificar o António, nem dar-lhe uma surra de toalha molhadas...rsrsrs

PS: Se ele não souber, explique o por que da toalha molhada...r


Beijos e carinhos!

A.Tapadinhas disse...

Pena: Bem lembrado! "As vinhas da Ira" retrata o efeito da Grande Depressão, sobre os pequenos fazendeiros e o crescente poder dos bancos e das grandes indústrias.

Esperemos que, por cá, não aconteçam os infaustos eventos relatados no livro... Apesar de tudo, a nossa depressão não deve atingir aquelas proporções.

Grande nau, grande tormenta... à medida americana...

Abraço.
António

A.Tapadinhas disse...

A Curruncheira: Podes passear com os meus barcos e, em princípio, não há o perigo de se afundarem...

Un abrazo cariñoso...
António

A.Tapadinhas disse...

MENSAGENS AO VENTO: Vamos ver se esta paisagem com maiores ou menores alterações, se manterá... e se o mundo continuará azul...

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Udi: Não sei qual a opinião da avassaladora Vénus, mas ela tem um coração enorme onde cabem todas as amigas...

Como sabe que vou me encontrar com Flavio?

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Avassaladora: Ciumenta por bons motivos, não tem importância...

Já fui ver uns videos no You Tube para saber do que estava a falar.

Parece-me que não vou morrer com um castigo desses: já tenho pele de dinossauro...
rsrsrs

Beijo.
António

Carmem disse...

É a primeira vez que visito este Blog e me sinto gratificada ao olhar as telas. São lindas!...
parabéns!... A pintura declara o que de mais belo existe na alma do ser humano.

Abraço!

A.Tapadinhas disse...

Carmem: Que lindo: seguidora número 100!

Eu é que me sinto gratificado com a tua visita!

Para mais, com uma definição de pintura tão eloquente...

Abraço.
António

Udi disse...

António,
A generosidade da tua Vênus também é obra de seu generoso criador.

Bem, só de ler o comentário do Flavio já dá prá saber. Mas, independente disso, conversamos a respeito neste último domingo... fiquei até pensei em gravar um cd prá te enviar de presente... mas essa vida corrida... seilá.
Há algo que gostaria daqui?
beijos

Lusca disse...

Poxa, obrigado por ter aparecido no meu blog! Eu gostei mesmo daquela tela, muito boa.
Tenho que confessar uma coisa: eu sempre quis ser artista plástico! Mas ao invés disso, fiquei só com os desenhos no paint, hehheh.
Mas quem sabe eu não aprendo e chego um dia no seu nível?
Voltarei mais vezes. um abraço!

A.Tapadinhas disse...

Udi: E eu que julgava que tinha alguma coisa de Apolo...

Há uma coisa que eu tenho invejado:
aqueles encontros no Genial...

Mas olha! Eu acho que todas as coisas acontecem no tempo certo, determinado não sei por que entidade, talvez, quem sabe, por nós próprios...

Ainda não chegou a altura, mas acredito que ela vai chegar...

Até lá!

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Lusca: O meu amigo é bom naquilo que faz!

Em qualquer altura pode partir para outra!

Quem sabe mais cedo do que imagina?

Abraço.
António

São disse...

O quadro está estupendo.
As dúvidas...

Uma noite serena.

Walmir Lima disse...

António,

Meu tempo anda escasso mas queria passar por aqui e deixar-te um abraço amigo.
Quem sabe a terceira ponte não será como o terceiro olho: vai permitir enxergar melhor a paisagem.
Belíssimo quadro, como sempre, a perenizar nosso belo Portugal.
Um abraço de Centauro para Centauro.

Isabel disse...

Yo quiero uno como ese... besos
http://senderosintrincados.blogspot.com

A.Tapadinhas disse...

São: As dúvidas só serão desfeitas com o decorrer do tempo...

Beijo.
António

A.Tapadinhas disse...

Walmir: Dizemos que Camões via mais com um olho que nós com dois...

Como vão os tempos, é realmente necessário a terceira visão para a nossa atitude melhorar... e mesmo assim...

Gostei de te rever!

Abraço de centauro.
António

A.Tapadinhas disse...

Isabel: Quem sabe se um dia não terás um...

Beijo.
António

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,