terça-feira, 22 de junho de 2010

À PROCURA DE VAN GOGH

Diógenes percorria as ruas de Atenas com uma lamparina dizendo estar à procura de um homem honesto. Não sei se o encontrou.



Eu procurava o Mestre da Pintura que criou com a sua cor, um mundo novo.










Na minha busca passei pelos canais de Amesterdão,















pelos cafés da noite,











percorri os campos de trigo, com corvos,








verifiquei no moinho de tinta de Kat em Kalverringdijk...




Finalmente, encontrei-o, em toda a sua pujança, no seu museu.

Espero que o tenha trazido comigo.
A urgência de Van Gogh em viver a vida, nos curtos dez anos que dedicou à pintura, vai ser a minha, para confirmar se consegui absorver o seu espírito.
Por falar em Mestres: fiquei desolado com a morte de Saramago!

33 comentários:

Ava disse...

Ai, que busca mais gratificante essa sua!

Van Gogh estava a sua espera...

Claro que encontraria toda a sua arte, com louvor, depois de tanta procura.


António, enquanto procuravas pelo Mestre, por aqui esta sempre a procura de ti... Que falta fizeste nessa blogosfera... E por favor, não nos prive de sua presença sempre tão cordial e amiga.


Para finalizar, explicando o porquê de tanta saudade, nada melhor que nosso saudoso Saramago:

"De que adianta falar de motivos, às vezes basta um só, às vezes nem juntando todos."

José Saramago


B.B. avassaladores!

jorge disse...

No hacia falta tanta busqueda.

Encontraras el espiritu de Van Gogh en tu interior,

Eres poseedor de su fuego, su pasion y su talento.

Buen café.

Saramago un grande que lo fue en todo momento.

A.Tapadinhas disse...

Para já, a minha busca foi gratificante: deu-me um prazer imenso, comparável a... só me estou a lembrar de uma coisa... mas não vou dizer qual!

Também é gratificante saber que a minha amiga, com tantos admiradores que a perseguem, mesmo assim, deu pela minha falta!

Não há nada a fazer sobre a última parte da sua mensagem: Saramago, afinal, também era humano como nós e, por isso, mortal.

A melhor parte ficou para o fim!

BB!!!
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: És um amigo daqueles que interessam: nos momentos importantes, estás presente!

Depois de ver tantas obras de Van Gogh, sabendo que tudo aquilo e o mais que se encontra espalhado pelos melhores museus do mundo, foi realizado em dez anos,
deixou-me ainda mais admirador do Mestre.

Deu para perceber que as suas paisagens e os seus retratos combinam a audácia da cor com a acuidade dos seus desenhos. Os moinhos, as casas, os camponeses, lá estão para o demonstrar.

Saramago foi uma surpresa muito desagradável no regresso! Fica a sua obra!

Abraço,
António

Sí es lo que parece disse...

Las fotos preciosas.

Seguro encontraste lo que buscabas maestro.

Al menos de Saramago nos queda su obra para recordarlo

Besos

Graça Pereira disse...

Já tinhas encontrado Van Gogh...há muito tempo...talvez precisasses apenas de o confirmar!
Vieste cheio do seu "espírito".....com os olhos repletos das suas cores e acredito que a tua pintura seja agora ainda mais "febril" imbuído pela mesma ansiedade do Grande Mestre...
Estou ansiosa para ver as próximas obras...
Beijo
Graça

linda lourenco disse...

António boa tarde:)
Estou feliz que estiveste com o Mestre:)
Repares, que sempre te acompanhou no teu traços, cores,Genial!(Pardonnez moi l'expression)

Os teus trabalhos são únicos,Eu gosto todos deles.

Obrigada por ser uma Pessoa,gentil,simples que gosta das pessoas seja qual for.
há muito poesia nas tuas obras.
Sim,sem margens Pinta lindamente a Palavra,escrevendo a pintura :)

Tenho uma exposição que vai acabar 6a a Cadaval,é a primeira..
fiz de fotografo durante as ferias!
postei algumas fotos em fotografiasbylinda.blogspot.com
a não perder o PÔr do sol!e Buddha Eden.

Beijos,

Continua Feliz,como nós faz felizes!

linda.

Tertúlias... disse...

que maravilha....

Udi disse...

mas você tem o seu próprio espírito.
Felizes somos nós que podemos contemplar as pinturas de ambos espíritos.
bjo!

Anne M. Moor disse...

Eta país bem lindo esse! E que bom te ver feliz com o teu mestre!

Welcome back, sentimos saudades.

Beijos de boas vindas
Anne

Ava disse...

Meu doce amigo, já disse certa feita que podemos acariciar as pessoas com palavras ( alguém disse...rs).
E voce é mestre nessa arte, já que suas palavras tem um poder fabuloso...

Sobre ser "perseguida", é um tanto de exagero de sua parte...rs
Mas não se esqueça que temos nossos "escolhidos!...rsrs


Sobre seu comentário lá em casa, apenas uma observação: Estamos vivendo a era do medo;medo de se apaixonar, de amar, de se entregar, medo dos sentimentos!
E quem o faz, é tido como louco...rs

Adoro seus comentário, por virem assim, repletos de energia...


B.B. avassaladores...rs

Jessy Beraldo disse...

Que emocionante, fantastico, surtante. E Van Gogh estava la!

abraços

Pena disse...

Estimado e Brilhante Amigo António:
"...A urgência de Van Gogh em viver a vida, nos curtos dez anos que dedicou à pintura, vai ser a minha, para confirmar se consegui absorver o seu espírito..."

O meu amigo é de ouro puro na forma como sente, é, e deslumbra.
Espero que nesta fabulosa viagem tenha concretizado o seu fabuloso sonho: "conhecer" esse nome ímpar e talentoso, tal como você, Van Gogh.
O seu coração merece, bem como, o sublime e genial ardor e beleza que coloca nos seus quadros fascinantes e de encantar.
Fico feliz por si.
Abraço amigo de respeito, estima e consideração pela sua imensa e intensa significação que coloca nas pessoas que só podem ficar a sonhar e a admirar, pelo forma como concebe a sua Arte magistral que lhe corre no sangue.

pena

MUITO OBRIGADO pela sua amizade. É sempre uma honra "recebê-lo" e comentá-lo.
Bem-Haja, extraordinário amigo de bem.
Adorei.

tulipa disse...

Há muito que não vinha visitar o meu vizinho da Moita.

Hoje...deixaste-me arrepiada com este POST maravilhoso.
Obrigada por me fazeres recordar Van Gogh - adoro a sua obra.

Estive ausente 10 dias e regresso hoje, com o post da blogagem colectiva sobre o S. João.

A minha intenção neste post é mostrar-vos um verdadeiro GUIA DE SOBREVIVÊNCIA, nestes dias de grande reinação. Chegaram os santos populares e com eles foi-se o sossego. Renda-se às tradições e junte-se à festa, seja ela em honra de que santo for. Mas como nem tudo são rosas, ou manjericos, é sempre bom saber uns truques de sobrevivência para que se possa divertir até de manhã sem nenhum tipo de chatices.
Antes de sair de casa - A prevenção para uma noite bem passada começa em casa. Primeiro que tudo, pense na roupa que vai vestir. Lembre-se que está calor, que vai para o meio da confusão, que vai ser uma entre milhares de pessoas e que se vai fartar de andar e dançar. Sendo assim, nada melhor que roupa simples, leve e fresca. Nos pés nem pense em pôr saltos altos ou chinelos! Depois vai passar o tempo todo a queixar-se das bolhas. Por isso não arrisque. Sapatos confortáveis e fechadinhos.

Abraços sanjoaninos.

A.Tapadinhas disse...

Si es lo que parece: Terei de deixar passar mais algum tempo para ver o resultado...

Saramago? Perda irreparável!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Não sei se realmente o tinha encontrado, mas sei que fiz o meu melhor para isso!

Vai levar um certo tempo, mas aparecerão!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Linda Lourenço: A tua amabilidade é reveladora da tua personalidade afável, de alguém que se preocupa com os outros. É bom encontrar pessoas assim!

Espero que tenha sido um êxito a tua exposição, porque tu bem o mereces!

Vou ver o site que indicas, logo que possa.

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Tertúlias: É uma maravilha, mesmo!

Já te disse quanto te invejo por viveres em Viena, perto de um Mestre como Klimt!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Udi: Que bom ler as suas palavras, sempre tão reconfortantes...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: ...E tu sabes do que estás a falar!

A inveja que me fizeste, já passou...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Ava: O meio que serve para comunicarmos é muito poderoso: sinto a tua energia nas palavras que leio como se fossem ditas na minha presença...

...e o mais importante é que acontece igualmente em sentido inverso!

A Ciência é, afinal, uma grande aliada da comunhão entre as pessoas!
:)
BB
António

A.Tapadinhas disse...

Jessy Beraldo: Van Gogh é como um deus e como o amor: pode estar em toda a parte!

Até no nosso coração!

Abraços,
António

A.Tapadinhas disse...

Pena: A grandeza do seu coração está retratada nestas suas singelas palavras:

Fico feliz por si.

Muito obrigado por me considerar seu amigo!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Tulipa: Nem a propósito: tenho a sua visita depois do regresso de Amesterdão!

Ainda está a tempo: as tulipas que trouxe continuam viçosas, quer uma?

Visitei o blogue de Graça Pereira que é também sobre o S. João. Como fala em blogagem colectiva o seu tem alguma coisa a ver com o dela?

Abraços,
António

Desabafosescritos disse...

Belo passeio, António. E agora as expectativas são muitas com toda essa inspiração...
Beijo,

A.Tapadinhas disse...

Desabafosescritos: A minha expectativa está no máximo...

...mas (ainda) não sei por onde começar!

Beijo,
António

Maru disse...

Todos los grandes se van antes de lo que quisiéramos. Bonito viaje por las tierras de Van Gogh.

cariños

Fabrício Santiago disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através Zambeziana. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

A.Tapadinhas disse...

Maru: Acho que os grandes nunca deviam ir...

..é sempre demasiado cedo!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Fabrício Santiago: Meu amigo, a porta está aberta, e tenho o maior prazer em receber novos amigos!

Para começar o seu blogue tem um nome bem interessante!

Obrigado pelo convite! Até já!

Abraço,
António

J Araújo disse...

Antonio, é muito bom vir aqui e deparar com estas lindas imagens de encher os olhos.

Abraço

A.Tapadinhas disse...

J Araújo: O amigo tem um passe vitalício, grátis...

Pode voltar sempre que queira!

Abraço,
António

Denise disse...

Conseguiu!

Gosto sobremaneira desse seu jeito de falar de mestres e capacidade incrivel de lidar com o implicito..........de forma simples.......bonita.

Tb fiquei a lamentar a ida de Saramago.

bem querer