sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

AS CIDADES DAS EMOÇÕES (III)


Praia da Rocha Acrílico sobre Tela 60x80cm
(clic sobre a imagem para ver em pormenor)

Acabei de pintar o mar com o mesmo azul diluído, que deixava ver o Naples Yellow que lhe servia de suporte. Na base das rochas, deixei uma sugestão de espuma e na água mais próxima, traços mais precisos, mostrando as ondas que se formam junto à praia. Detalhei com maior precisão os pinheiros que, neste caso, têm um papel fundamental no equilíbrio do quadro e, curiosamente, na estabilidade da falésia. Com delicadeza, vou percorrendo toda a tela corrigindo pormenores, tendo sempre o cuidado de não exagerar, para que a pincelada permaneça sugestiva, livre e nervosa, como o tema.
Não fiquei satisfeito com o resultado. Deixei o trabalho e fui beber um café…
No regresso já tinha uma ideia muito precisa do que faltava. Voltei o quadro ao contrário e “vi” o defeito: o mar não existia! Voltei a pintar os azuis do mar (os mesmos usados para pintar o céu) e, para os reforçar, dando maior profundidade, juntei um pouco de Prussian Blue…
E, fiquei convencido!
Gostei tanto, que me fez lembrar o poema de Fernando Pessoa

D. DINIS
Na noite escreve um seu Cantar de Amigo
O plantador de naus a haver,
E ouve um silêncio múrmuro consigo:
É o rumor dos pinhais que, como um trigo
De Império, ondulam sem se poder ver.

Arroio, esse cantar, jovem e puro,
Busca o oceano por achar;
E a fala dos pinhais, marulho obscuro,
É o som presente desse mar futuro,
É a voz da terra ansiando pelo mar.

33 comentários:

Anne M. Moor disse...

António que beleza... Pra mim a tua característica mais interessante é o movimento que tuas telas têm - brilhante.

"Movimento de rede embalada pela preguiça em um vai e vem com certa languidez a deixar rastros de bolhas em formas sinuosas.
Um crescer, um ímpeto feito minhocas dançantes, alcançando um fragor retumbante a formar
espuma branca musicada!"

Beijo azul :-)
Anne

linda lourenco disse...

Olá António,Que linda que ficou a sua Obra.Os tons em harmonia das rochas e do mar azul petróleo,Os planos São muito interessante.
Aprecia também as pintura que no primeiro plano marca a sua força, o horizonte que parece quase infinito.
fotografei as rochas na praia a Santa Cruz Já há um tempo..Que me inspira Para pintar..
Aproveito para um convite de ir ver segundo blog que criei,São outros trabalhos...A descobrir.o link está no blog que o António já conhece.
Um grande Abraço.
Beijo.

jorge disse...

Esta vez al principio no acababa de ver el cuadro.

Ahora, viendolo como siempre en grande, me encanta.

No se si sera por ese ultimo retoque de azul, pero ese mar se parece al que mas me gusta.
La separacion cielo/mar es preciosa.

Y la fuerza de la zona terrestre confiere una personalidad unica al cuadro.

Me recordó cuando iba a alguna de las calas un poco escondidas de Mallorca y tenia que pararme a admirar el camino que recorria.

Tertúlias... disse...

Saudades do Algarve. Linda pintura. As rochas (diz-se falésias?) estao quase vivas. ousadas, agressivas. elas que acumulam tanto calor, tanta forca...

A.Tapadinhas disse...

Anne: ...Para tudo se acabar na quarta-feira!

Não, não me estou a referir ao Carnaval, mas sim a estes dias que passei com o meu neto!

Ele adora o mar! Do cimo dessa falésia sobre a Praia da Rocha, ele estava todo debruçado para ver as ondas, comigo a agarrá-lo na parte de trás do blusão. Com a mãozita a bater na minha, diz, com cara de chateado: Não puxa!

O movimento das ondas, da luz sobre as rochas, que tu consegues ver nos meus quadros, deixam-me muito feliz!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Linda Lourenço: Um olhar observador e de conhecedora que, com as suas palavras, me deixa muito satisfeito...

Já conheço a Praia de Santa Cruz. Durante alguns anos, passei lá uns dias em casa de amigos e sei, por experiência própria, dos locais maravilhosos que existem na costa.

Aceito o seu convite! Irei visitar o seu outro blogue, com todo o prazer!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Tal como tu, também eu, estava enganado sobre o resultado final do quadro.

Não queria dar muita força ao mar mas ele fez ouvir a sua voz! Em vez de enfraquecer o primeiro plano, a sua força dá maior dimensão ao que o rodeia!

É assim também com os homens: quanto mais fortes os nossos amigos, mais fortes nos tornamos!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Tertúlias: A força da terra, da mãe-natureza, está impregnada nos rochedos...

...talvez transmitida pelo mar, omnipresente...

Abraço,
António

Graça Pereira disse...

Há muito que não passo por aqui...vim deliciar-me com a última tela que me impressiona sempre pelas cores e pelo traço firme...
Aqui a pintura continua a ser bem escrita.
Um beijo
Graça

Pena disse...

Prodigioso Amigo António:
Notável, este Praia da Rocha Acrílico sobre Tela 60x80cm
De fascínio o azul do mar e do céu.
Perfeito "confeccionador" de Arte, visualizável também na extraordinária narração de "suporte" à Obra de fascínio.
Fiquei pasmo. A olhar. Simplesmente, a olhar.
Abraço de parabéns sinceros.
Sem saber o que dizer mais perante tanto encanto.

pena

É uma honra a sua preciosa amizade que é recíproca.
Bem-Haja, fabuloso amigo António.
MUITO OBRIGADO pela amabilidade no meu blogue.

Flavio Ferrari disse...

Impecável ... e adorei a técnica de virar o quadro de ponta cabeça para se livrar do significado ....
Vou tentar isso com os textos.

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: Tem realmente faltado a tua graça...

É sempre um prazer, saborear palavras tão amáveis sobre a minha obra...

Brijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio: Resulta com toda a certeza! É o que se chama, dar a volta ao texto!
:)

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Pena: É mais fácil fazer uma tela que impressione pela sua beleza, força, movimento, o que se quiser, quando o modelo tem a prodigiosa perfeição das falésias da Praia da Rocha...

Com os meus agradecimentos pelas suas palavras...

Um abraço,
António

ANGEL VIRGILIO disse...

Hermano aunque no te comento por razones de idioma siempre estoy contigo. Maravilloso blog y buena pintura.

Anne M. Moor disse...

António

Que delício que o Rafael já está falando e te xingando rsrsrsrsrsrs

Beijos
Anne

A.Tapadinhas disse...

ANGEL VIRGILIO: Podes comentar à vontade, porque eu, com tantos falantes de espanhol, já percebo o que me querem dizer.

Volta sempre!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Anne: É como dizes! Ele está uma criança que obtém tudo o que quer com o seu sorriso cativante...

...Como os pais são motards, ele também gosta de motas, mas fica doido com barcos... Acho que é a costela do avô...

Beijo,
António

Anne disse...

António...

O que são 'motards'??????????????

A.Tapadinhas disse...

Motard é não conseguir imaginar uma vida feliz sem o prazer de andar de duas rodas... Eu gosto mais de andar de barco: a água é mais macia...
rsrsrs

Beijo,
António

Lu disse...

Noto tu sensibilidad y creo captar tu espíritu. Tus cuadros me producen algo único. Exponés por allá?
Mi padre es pintor y le organicé unas muestras. (en mi blog se pueden ver unos cuadros suyos)
Como habrás visto a mí me gusta la fotografía. Pero debo reconocer que la pintura es una debilidad que tuve desde niña.
Percibo una personalidad increíble y eso me gusta. Por lo tanto seguiré pasando por aquí.
Saludos argentinos.

Ava disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ava disse...

Querido António, acho que vou chamá-lo de 3 em 1...rs

Um delicioso Professor... que pacientemente e didaticamente, vai explicando passo a passo, cada detalhe do trabalho excutado...

Um Poeta admirável, que sempre nos encanto com sua sensibilidade, e ainda mais quando escolhe justamente Pessoa...

Um Artista sensível, que consegue captar da natureza o que ela tem de mais belo... Com cores que retratam com perfeição cada nuance
desejada, para culminar com uma pintura linda...

Ora, meu querida, não sejas tão perfeito...rs

Já te amo de qualquer jeito...rs


Beijos e carinhos, a nossa moda...
De balaiadas...



PS: Não resisti a brincar contigo... Sinto-me feliz de estar aqui, a apreciar teu belo trabalho...
Me perdoa a ousadia...

A.Tapadinhas disse...

Lu: Fico muito contente por saber do efeito que os meus quadros produzem em ti. Exponho duas ou três vezes por ano, e mantenho um local em que tenho uma exposição permanente...

Cada um expressa as suas emoções da maneira que mais lhe agrada: tu com a fotografia, teu pai com a pintura... Hei-de passar pelo teu blogue para ver os quadros de teu pai.

Volta sempre que queiras, serás bem-vinda!

Un saludo cariñoso,
António

A.Tapadinhas disse...

Ava: Vou começar pelo fim: Um balaio de saudades e outro de beijos, que a saudade é um defeito/virtude dos portugueses...

Só podia ser assim! Tantas e tão bonitas palavras que me atingem em cheio...

Achei muito gratificante fazer este quadro e gosto do seu resultado.

Mas, ter merecido a tua visita, as tuas palavras... foi demais...

Aguenta coração!
rsrsrs

Beijo,
António

jefhcardoso disse...

Olá! Não tomarei muito de seu tempo. Encontrei-o ao adentrar a lista de seguidores do Palavras de Osho (blog com o qual tenho me identificado). E visto o ecletismo dos seguidores deste blog, decidi divulgar o meu atual trabalho, que se trata de meu primeiro microconto “O Aparelho Digestório”. Caso se interesse e me visite, será um imenso prazer retornar a esta casa com mais tempo, atenção e calma.

Forte abraço de Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com de blog em blog divulgando e dando o recado!

jefhcardoso disse...

Olá! Não tomarei muito de seu tempo. Encontrei-o ao adentrar a lista de seguidores do “Palavras de Osho” (blog com o qual tenho me identificado). E visto o ecletismo dos seguidores deste blog, decidi divulgar o meu atual trabalho, que se trata de meu primeiro microconto “O Aparelho Digestório”. Caso se interesse e me visite, será um imenso prazer retornar a esta casa com mais tempo, atenção e calma.

Forte abraço de Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com de blog em blog
divulgando e dando o recado!

A.Tapadinhas disse...

jefhcardoso: A minha curiosidade levou-me a visitar primeiro o seu blogue, por causa do sugestivo título do microconto "O Aparelho Digestório".

Confesso que não sabia da existência desse tipo de contos, e dos brilhantes seguidores que já tem.

Fiquei fascinado, como lhe disse e, quem sabe, não irei escrever alguns...

Gostei da sua visita.

Abraço,
António

Ava disse...

Visitinha de domingo, com direito a um beijo especial...

A.Tapadinhas disse...

Ava: Domingo especial...

...como o beijo!

O meu sai de um balaio onde tenho guardados os especiais.

António

Carlos Eduardo Leal disse...

António,
aqui em Niterói, Rio de Janeiro, há uma paisagem muito semelhante. Chama-se Ilha da Boa Viagem. Já foi pintada por muitos marinhistas. Vou ver se consigo a foto e te envio. Ah, nada como tomar um café, se inspirar em Pessoa e atacar novamente o quadro. Uma maravilha.
...o oceano que nos une é o mesmo!
abraços,
Carlos Eduardo

A.Tapadinhas disse...

Carlos Eduardo Leal: Quando estive no Rio de Janeiro, lembro-me de ter visitado uma ilha, da qual me lembro o nome - Ilha do Bernardo - talvez por ser o nome de uma pessoa amiga...

Já estive a ver fotos da Ilha da Boa viagem, e é como diz: aquelas rochas parecem uma cópia das que pintei...

Somos irmãos em muita coisa!

Abraço,
António

SHE disse...

Poco a poco vas transformando y encontrando la profundidad de la emoción, casi abordas lo perfecto.

me encanta como vas dandole vida al paisaje con tus colores.Gracias por las clases de pintura.
besos