quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

FAVELAS IV


Favela 0512 Díptico Autor António Tapadinhas
Acrílico sobre 2 telas de 60x40cm
(clique sobre a imagem)

O meu amigo, Luís Santos, escreveu:

Morro acima cruzes, muitas cruzes. Feitas de pau. Como aquelas que se vêem em muitos cemitérios. No tombo dos mais frágeis o sonoro revela o ruído compassado de uma intermitente arma de guerra, como se de um sapateado se tratasse.
No meio do morro nasceu uma flor. E nasceu uma criança que se apaixona pela flor. É um pé de laranja lima.
Porque será que o morro está mais amarelado de um lado? Pela luz do sol, pela rotação do planeta. A indestrutível lei da natureza. Não fossem as sombras.

Respondi-lhe:

No alto do morro, nas favelas
nascem pés de laranja lima,
não nascem facas ou fuzis!
O sol que brilha nas janelas
aquece as sombras e a dor,
num bairro alegre ou tristonho.
Com ele fica a esperança
de quem nunca desanima
e acredita no sonho!

38 comentários:

JESUS y ENCARNA disse...

Buenos dias Antonio,un rincon del Planeta que refleja y aglutina todos los sueños y esperanzas mundanas.
Tus pinturas, lo recuerdan, excelente labor artistica, te considero un artista comprometido.
Saludos cordiales.
Jesus

lolipop disse...

Linda esta tela, povoada pela sombra dum pé de laranja lima...
Abraços

folha seca disse...

Caro A. Tapadinhas
Aprendi há muito que para se apreciar uma pintura é preciso encontrar a distância e o angulo certo.
O meu caro dá-nos os "azimutes" com mestria.
"Pé de laranja lima" quem se lembra?
Obrigado por mais este quadro que vou guardar na minha colecção.
Abraço

Luna Sanchez disse...

Perfumou-se!

Um beijo.

ℓυηα

A.Tapadinhas disse...

Jesus: Buenas tardes!

Sonhos e esperanças é bom que existam em muitos lados do planeta!

O pior é que, paralelamente, as ameaças também proliferam...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

lolipop: Serão precisos muitos pés de laranja lima para libertar a luz necessária...

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

folha seca: Todos nós precisamos de aprender...

É a única maneira de podermos escolher, conscientemente, os azimutes certos para a nossa vida.

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Luna Sanchez: E chegou aí o perfume?
:)
Beijo,
António

Anne M. Moor disse...

A favela da esperança António! Que linda ficou... O espaço para que o amor posse florir (existe esta palavra?), florescer e trazer a possibilidade de vida.

Belo quadro. Adorei!

bjos
Anne

Tertúlias... disse...

que belezas... um dilúvio de lindas cores! Amei!!!!!

Graça Pereira disse...

Uma consequência natural...depois da tempestade, vem a bonança e podem florir todos os pés de laranja lima, todos os cravos de Abril e todos os sonhos de amor.
Penso que esta tua obra sobre "Favelas" tem a história e a cor do mundo inteiro.Belissimo conjunto feito com pinceis e, principalmente com o coração!
beijo
Graça

Fernanda disse...

Olá amigo A.Tapadinhas!

As favelas ao rubro!

A tela é linda, belíssima!!!
O cenário imaginário é dantesco!!!!

Beijos

A.Tapadinhas disse...

Anne: Essa palavra, se não existisse, ficaria inventada...

Beijo florescente :)
António

A.Tapadinhas disse...

Tertúlias: ...e um dilúvio de agradáveis palavras!
Obrigado!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Graça Pereira: O coração, e o que ele representa, é uma parte importante de qualquer trabalho...

Só o futebol é que se faz com os pés... E mesmo esse...
:)

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Fernanda: Olá, amiga!

Esta obra, com as suas cores vibrantes, vai fazer parte do meu
natal...

Beijo,
António

mundo azul disse...

_________________________________

...enquanto os pés de laranja lima continuarem nascendo, haverá esperança!

Sua tela é muito bonita e expressiva! Os textos conversam em perfeita harmonia...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

_______________________________

Luna Sanchez disse...

António,

Uhun, chegou sim! ;)

Beijo.

ℓυηα

piedadevieira disse...

A tela lindíssima, adoro esse tom. O texto... senti o perfume daqui das flores brancas caídas ao chão.
Beijos

Flavio Ferrari disse...

Aha ! é daí que vem o comando vermelho !!!!

jorge disse...

Este es el que mas me ha llegado visualmente de la serie.

Me hipnotiza.

Ojala las favelas se llenaran de la belleza con que nos las presentas.

Fê-blue bird disse...

Meu amigo, perante esta sua descrição :

" No alto do morro, nas favelas
nascem pés de laranja lima,
não nascem facas ou fuzis!
O sol que brilha nas janelas
aquece as sombras e a dor,
num bairro alegre ou tristonho.
Com ele fica a esperança
de quem nunca desanima
e acredita no sonho!"

Que mais posso acrescentar, se estou rendida à tela e à escrita.

Beijinhos

A.Tapadinhas disse...

mundo azul: As minhas obras e palavras tentam manter a esperança em melhores dias...

Os seus elogios são um bálsamo.

Bem-haja!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Luna Sanchez: Fico mais descansado!

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

piedadevieira: A sua sensibilidade é capaz dos maiores milagres...

Beijo,
António

A.Tapadinhas disse...

Flavio: Vai ficar disfarçado de Pai Natal!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Jorge: Ainda está por medir o efeito da Arte no Homem!

As pinturas rupestres são uma manifestação ímpar da alma humana!

Esta obra já está na minha sala de jantar de Natal!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Fê-blue bird: Obrigado, minha amiga!

Beijo,
António

Nilredloh disse...

Caro António,

Que pintura fantástica!! Vista aérea da favela dos pés de laranja lima ao rubro!

Um abraço e os meus parabéns ao Pintor, ao Escritor e ao magneto dos comentários mais gentis que jamais vi (e vejo e continuarei a ver, sempre, neste blog maravilhoso)

Jorge

A.Tapadinhas disse...

Nilredloh: Que comentrário fantástico!

Agradeço do coração!

Abraço,
António

Isabel Moreira Rego disse...

"Pé de laranja lima". personalizado por crianças. Um livro que li quando jovem e me ficou na memória, para sempre. O livro "A Juventude de Isabella" quando publicado em 1979 foi comparado e esse maravilhoso texto literário.
Esta tela, povoada pela sombra de um pé de laranja lima é no mínimo interessante.
Abraço

A.Tapadinhas disse...

Isabel Moreira Rego: Todos nós temos o nosso filme preferido, a nossa música ou o nosso livro. Permanecerão para sempre na nossa memória.

Agradeço a visita e as amáveis palavras.

Abraço,
António

Antonio disse...

Linda tela,gostei do jogo de cores e sombras. O artista enxerga esperança ,sem deixar de retratar a realidade. Parabéns pelo trabalho comprometido com a realidade.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Amigo Antonio. Gosto muito de vir aqui ver suas obras. As cores, os traços. E as palavras, tão bonitas.

Sinto que a alma fica mais leve, como se brotassem novos pés de deliciosas e perfumadas laranjas, com sol, com alegria e esperança.

uma beleza tudo isso!
bom dia meu amigo e boa semana

A.Tapadinhas disse...

Antonio: Acho fundamental o artista receber os impulsos da sociedade que o rodeia...

...e recriá-la!

É uma observação muito pertinente!

Abraço,
António

A.Tapadinhas disse...

Alexandre: Agradeço as palavras que são a tradução dos sentimentos profundos e cheios de esperança que nos transmite!

Bem-haja pela sua presença e apoio!

Abraço,
António

Dóris disse...

António, parabéns por tão belas palavras...tão lindas telas.
Saudade de estar aqui, babando em tuas obras.

Beijo e abraço carregado de PAZ.

estudo geral disse...

Dóris: Foi reconfortante ler tuas palavras!

Muito obrigado!

Beijo,
António